1. Continuação... 4 – nós na praia. Quase papai, a mana atrapalhou. Incesto gostoso.


    Encontro: 11/10/2018, Categorias: Incesto, Autor: dora, Fonte: ContoErotico

    Continuação... 4 – nós na praia.Quase papai, a mana atrapalhou. Incesto gostoso.A vida continua maravilhosa no nosso sitio. O rebanho aumenta e a renda também. Compramos carro novo e resolvemos fazer a estreia indo passar um final de semana na praia onde alugamos um apartamento. Levamos o carro um trecho de cada para sentir o prazer de um zero. Eu e o pai ainda não fazemos certas coisas na frente da mana, ele não se sente bem. Mas em uma mudança de marcha eu deixei minha mão escorregar até o meio da perna dele. Reação imediata daquele delicioso cacete. Pelo retrovisor vi o olhar guloso da mana. Avancei mais um pouco dando uma mexida nele. Ela babou. A mana babou rsrsrs.Na praia ficamos a vontade e o pai olhou para ela e disse.- Menina você já ta mulher mesmo, ta linda demais. Deu um risinho e uma bicada na caipirinha. – Minhas meninas estão parecendo estrelas de novela de tão bonitas. Ela aproveitou a deixa para sentar bem coladinha a ele, tomou um gole da caipirinha dele e sorrindo disse.- A Debora está mais bonita, o corpão dela da tesão em qualquer um, já eu nem namorado arrumo. Sorri prevendo onde ela queria chegar e me levantando disse.- Você é mais linda e sabe das coisas, pai o beijo dela tem um sabor diferente. Sai sorrindo e da água vi como eles conversavam animados.A noite fomos tomar sorvete e na volta bem no meio da sala eu me abracei ao pai e o beijei com desejo, fui correspondida a altura, pois senti seu cacete estufar dentro da bermuda larga. A mana ficou ... parada nos olhando. Quando terminamos eu a chamei e disse.- Sinta o saber desse homem. Ela não esperou reação dele, já se enganchou no pescoço e se beijaram loucamente. Por trás dela eu enfiei minha mão a procura dos seus seios duros, brinquei com os mamilos e uma mão desci para dentro da sua calcinha. Buceta molhada meus dedos tocaram. Ela se arrepiou toda. Abaixei o short do pai e liberei seu cacete que babava. Me abaixei e tirei a roupa dela e mordisquei sua bunda e passei a língua no seu cú. Ela não pode aguentar mais e parando o beijo gritou gemendo.- Porra mana está fazendo eu gozar. Beijou novamente e rápido e ajoelhou para dividir comigo aquele enorme e roxo cacete. Olhou admirada para o tamanho e sorriu abocanhando, nossos lábios se tocavam naquele boquete, nossos olhos se miravam brilhante. O pai gemia e segurava nossos cabelos. Ele tentou resistir, mas não pode com aquelas bocas malucas o evando ao delírio e só pode dizer.- Não aguento mmaaiisss, vouuu.... e a porra atingiu fundo a garganta da mana que danada engoliu e me deixou um pouco, nos beijamos naquele final de boquete, já subimos deixando as roupas no chão. Ele exigiu.- Quero gozar nessa boca, meta essa língua na sua filhinha. Deitada no sofá ela foi atendida com presteza, ele estava ansioso para foder na filha mais nova, vi sua língua ir atrás do meu da filha que gritava e gemia.- AAAAiiii meu deussss, que delliiiic... aaaauuuuuiiiiaaiiiii, toma minhaa porrraaa aaiaaiiiaaaiiiii porra pai. Ele se melava naquela ...
«12»