1. A boa menina do papai


    Encontro: 11/10/2018, Categorias: Ninfeta, novinha, Incesto, Heterossexual, Autor: GabiMel, Fonte: CasadosContos

    para eu apoiar as mãos na cama, abrir as pernas e empinar bem a bunda, ele socou seu pau enorme algumas vezes na minha buceta ensopada e sem dó nem aviso colocou tudo aquilo dentro do meu rabo, dei um gemido alto misto de dor e prazer, e ele deu um tapa forte na minha bunda; - Cala boca cadela, geme baixo, eu não gosto de escândalo! Minha perna ficou bamba, e ele socava cada vez mais forte e mais rápido, sua respiração ia acelerando, eu nunca tinha feito anal antes e a sensação era tão nova pra mim que eu não consegui dizer nada apenas sentir e gemer, ele segurou meu quadril com mais força, suas mãos me apertavam pra valer e seus movimentos iam ficando cada vez mais intensos, eu estava sendo fodida como uma verdadeira puta, socando com força, devorando meu cuzinho até que senti sua porra explodir dentro do meu rabo, eu ainda não tinha gozado e estava louca, desesperada pra gozar, ele me puxou pra perto dele me deu um beijo quente e deslizou seus dedos na minha buceta, minha perna tremeu levemente, eu estava encostada em seu corpo podia senti seu batimento acelerado, sua respiração ofegante, ele aproximou sua boca ... do meu pescoço e; - Vadia eu sei que você está louca pra gozar, mas como minha escrava você serve pro meu prazer então vai tomar um banho e colocar aquele biquíni lindo que vamos tomar café e ir pra praia com sua mãe, e se eu desconfiar que você se satisfez sozinha você vai apanhar como nunca apanhou entendeu? Ele diz tudo isso, sussurrando ao pé do ouvido enquanto me masturba, eu já estava virando os olhos quando ele parou, eu demorei uns segundo para entender tudo o que estava acontecendo, mas assim que ouvi um “vai!” dele me dei conta e fui para o banheiro tomar meu banho, ouvi ele arrumando tudo rapidamente poucos segundos após ligar o chuveiro ouvi ele ligar a tv e ouvi minha mãe chegando da sua caminhada, sabia que não poderia demorar ela devia estar louca para tomar seu banho e eu tinha ordens diretas que me faziam não querer ficar muito tempo tocando meu corpo, eu nunca tinha ficado tão excitada assim antes. Esse dia não acabou por aí, mas o que acontece depois é assunto para outro conto, o que posso garantir é que desde esse dia sou a “boa menina do papai” sempre disposta a servir e obedecer meu papaizinho.
«1234»