1. A boa menina do papai


    Encontro: 11/10/2018, Categorias: Ninfeta, novinha, Incesto, Heterossexual, Autor: GabiMel, Fonte: CasadosContos

    eu precisava dar um jeito de fazer ele entender que eu queria tanto quanto ele e não me importava nada com as regras morais da sociedade, até que tive um estalo, lembrei de um alguns vídeos que achei ao acaso no celular dele tratava-se de mulheres que se comportavam como escravas sexuais de seu parceiros, como havia muitos arquivos semelhantes salvos acreditei que essa era a preferência do meu pai, essa lembrança me fez traçar uma teia da qual ele não conseguiria resistir e ia acabar se rendendo as vontades dele e minha. No outro dia logo cedo minha mãe foi caminhar na orla, assim que ouvi o barulho do chuveiro corri para o quarto deles afim de colocar meu plano em ação, me certifiquei de trancar as portas, me despi completamente, prendi o cabelo em um rabo alto, apanhei um lenço de minha mãe da mala e o cinto dele, assim que ouvi o chuveiro fechar segurei os dois e fui para frente da porta, fiquei de joelhos de forma que quando ele abrisse a porta me encontrasse ali ajoelhada aos seus pés; - O que é isso mel? - Papai mal pude dormir, meu corpo deseja o seu pau delicioso dentro de mim, não quero que fique bravo comigo, mas por favor eu preciso de um pouco mais de você, quero ser sua puta, sua escrava, me dá isso de presente papai, me usa por favor! Eu prometo ser boazinha e fazer tudo o que você mandar! Se quiser pode me punir, ou me prender, mas eu preciso do seu pau. Ao dizer isso estendi as mãos oferecendo a ele o cinto e o lenço, essas palavras fizeram seu pau ficar duro ... e a toalha que estava mal presa cair no chão, ele ignorou os instrumentos que ofertei, sua mão agarrou minha cabeça e puxou com força em direção ao seu pau, eu sem perder tempo coloquei tudo o que consegui daquele pau delicioso na minha boca e ele com sua mão forçou um pouco mais e me fez engasgar, continuei chupando com vontade meu pai, até que ele me pôs de pé me puxando pelos cabelos e segurou meu rosto, me olhando fixamente nos olhos; - Mel você não é mais uma criança, sabe o que isso significa muito bem, é isso mesmo que você quer? - É sim papai, é isso que quero - Então será minha putinha Dito isso me empurrou para a cama e mandou que eu ficasse de quatro, me deu um tapa ardido na bunda e começou a socar seu pau na minha buceta, eu cada vez ficava mais molhada, mais excitada e gemia mais gostoso, pedindo para ele me fuder gostoso, pra socar tudo, quando ele dava uma paradinha eu rebolava fazendo o pau dele encaixar de novo e ele gemer gostoso, a esse ponto eu já estava tão maluca naquele homem que faria qualquer coisa que ele mandasse, então ele sentou na cama e falou para eu me encaixar e cavalgar, não precisou nem terminar a frase eu já estava encaixada naquele pau grosso, quicando feito uma puta, rebolando, beijando na boca, ele apertava meus peitos nas mãos aumentando cada vez mais meu prazer e minha loucura, de repente ele olho no relógio da televisão e; - Sua mãe vai voltar logo sua puta, deixa eu terminar isso que eu não vou ficar sem gozar, Dito isso ele pediu ...