1. Meu tio me flagrou com meu primo, e...


    Encontro: 10/10/2018, Categorias: Incesto, Autor: rerodriigues, Fonte: ContoErotico

    Esse relato que vou escrever aconteceu quando eu tinha 16 anos e meu primo 17.Eu e o Adriano (meu primo) sempre fomos muito próximos porque morávamos na mesma casa com meus avós.Nossos pais sempre viajavam bastante a trabalho e por esse motivo optaram por nos deixar aos cuidados de meus avós.Dividíamos o mesmo quarto, estudávamos na mesma escola, praticamente 24 horas por dia estávamos juntos.Eu sempre tive uma atração pelo meu tio, pai do Adriano. Era um grisalho bastante atraente, mas o fato dele ser meio "descuidado" era o que o tornava mais charmoso: barba mal feita, cabelo bagunçado, bigode, pelos no peitoral e um estilo meio largado, de regata e bermuda. Claro que eu nunca falei pra ninguém com receio, aliás, ele é meu TIO!Quase todas as noites, Adriano vinha dormir comigo. Ele esperava meus avós desligar todas as luzes da casa, e pulava pra minha cama pra dormirmos abraçados. Nunca havia maldade, mas naquela noite enquanto ele estava abraçado comigo, eu sentia sua bermuda com um volume fora do normal, e aquilo foi me deixando excitada. Eu me ajeitava de propósito na cama só pra poder sentir um pouco mais.Não toquei no assunto com ele, levamos o dia numa boa, conversando como sempre, e pela expressão que ele conversava comigo dava a entender que ele não sabia o que tinha acontecido na noite passada.Eu sempre durmo com uma cueca feminina porque fica um pouco apertadinha e acho mais confortável, com uma blusinha do pijama por cima, sem sutiã.Adriano dorme sem camisa e um ... short de jogar bola, sem cueca por baixo.Esperamos meus avós desligar as luzes da casa pra ele poder vir pra minha cama.Enquanto Adriano ficou abraçado comigo, resolvi perguntar sobre a noite passada:- Adriano?- Oi.- Posso te fazer uma pergunta?- Pode.- Você se lembra da noite passada? Digo, da sua reação...- Do que você se lembra, prima?- Lembro que você ficou de pau duro, fiquei sentindo o volume atrás de mim.Na medida que íamos conversando, não demorou muito pra eu sentir o volume novamente. Adriano estava excitado.- E gostou do que sentiu?- Gostei. Fiquei com vontade de apertar, mas acho que você estava dormindo já.- Quer apertar agora? Ele tá duro, tá sentindo?- To sim.- E seus namoradinhos? Você nunca me fala deles. Tá com alguém?- Estava, não nos vemos mais.- Mas ele te come ainda?- Não, ele mudou de cidade.- Quer apertar meu pau, prima? Aí aproveita e paga um boquete pra mim também. Quer?Acenei positivamente com a cabeça. Nosso quarto fica um pouco clareado por conta da luz que vem de fora.Adriano jogou o lençol pro lado e ficou sentado na cama.Me ajoelhei na sua frente e passei minha mão pelo seu short, realmente estava muito duro e na medida que ia apertando, eu sentia ele latejar.Ele afastou meus cabelos pro lado e desci um pouco seu short, deixando a mostra seu pau. Não era muito grosso, mas a cabeça estava bem inchada, toda rosadinha.Aproximei minha boca e num só movimento, fui agasalhando seu pau. Ele segurava em minha cabeça forçando mais pra dentro enquanto eu ...
«123»