1. TESÃO PELA MÃE – INICIO DE UM CHEIRADOR DE CALCINHAS


    Encontro: 10/10/2018, Categorias: Mãe Cheirar Calcinha Filho Incesto Buceta Peluda, Heterossexual, Autor: Livre_Liberal, Fonte: CasadosContos

    vestindo calcinha, com o pau saindo pelo lado, nunca gozava na calcinha pra não levantar suspeitas. Era muito excitante e as calcinhas já não me satisfaziam, passei então a entrar no banheiro logo após ela sair e passei a vasculhar o cesto de papel higiênico em busca de papéis que ela havia enxugado a buceta, com frequência nesses papeis ficava alguma pelinho grudado, e uma gosminha branca além do xixi. Cheirava e lambia enquanto batia punheta imaginando aquela buceta quentinha. Minha mãe ainda era jovem e começou a sair aos finais de semana, naquela época ela frequentava um forró onde ia pra dançar e obviamente conhecer homens o que me deixava enciumado e com vergonha, naquela época uma mulher separada indo no forró dançar com homens era algo que não era aceito com o hoje. Certo dia ela chegou do forró totalmente embriagada, havia exagerado na bebida e foi no banheiro vomitar, estava completamente fora de si. Nosso banheiro tinha um enorme buraco embaixo da porta, já havia olhado muito por esse buraco, porém nunca consegui ver nada, porque ela sempre estava tomando banho em pé. Nesse dia ela se ajoelhou pra vomitar no vaso ficando de costa para a porta e nesse momento eu consegui ver aquele bucetão peludo, era a primeira vez que via uma buceta de ao vivo e isso me marcou muito, enquanto ficava de quatro eu via ela de costas, ela tinha lábios enormes, pareciam 2 bifes que ficavam pendurados pra fora dos pelos da buceta. Depois ela sentava embaixo do chuveiro e eu via aquele bucetão de frente também, já batendo uma gostosa punheta. Esse dia foi mágico e fez o tesão por ela aumentar e meu espírito voyeur e o costume de cheirar calcinhas e papel higiênico nunca mais parou. No próximo conto contarei quando ela começou a trazer homens pra casa e eu acabei presenciando uma foda, vou dividir pra não ficar muito comprido. Continua...
«12»