1. Ele ofereceu meu rabo para os caras e acabei detonado!


    Encontro: 06/10/2018, Categorias: Sauna., Dominação, Submissão, fisting, arrombado, Pau grosso, dotado, BRANCO, Garoto, Lolito, muitos, Orgia, Gays / Homossexual; promiscuidade, Gays / Homossexual, Autor: Kevin, Fonte: CasadosContos

    “Ei moleque, bora curtir uma sauna?” dizia a mensagem de texto enviada pelo Marcelo. Na época eu estava apenas começando minha vida sexual, havia recém me mudado de uma cidade do interior para a capital do Estado e estava aproveitando tudo que podia e o que não podia! Marcelo era um dos caras que eu havia encontrado na internet e chamado para me foder, branco, algumas tatuagens pelo corpo, ativo e muito safado, tinha um pau de 19cm que não foi fácil aguentar. Após nossa primeira transa criamos o habito de trocar mensagens, numa espécie de amizade voltada a putaria, e aquela havia chegado em boa hora, estava num tesão danado, mas o fato é que nunca havia ido a uma sauna, na verdade mal sabia como era lá, e foi o que disse à Marcelo. - Relaxa, é tranquilo, a gente vai junto e eu te apresento como é - respondeu em texto. - Beleza, mas tenho 17 anos, lembra? – mandei de volta. - É sussa, conheço uma que não pede id. Combinamos então horário e local e fui me arrumar, sob o incentivo da mensagem de Marcelo: “Deixa tudo preparado para levar muita pica no rabo”. Encontrei com ele na parada de ônibus que havia marcado. Marcelo é o tipo de cara que passa despercebido pela rua, rosto comum, sem barba, olhos escuros, cabelo curto, o corpo é igualmente comum, aqueles magros levemente musculosos sabe? - E ai, beleza? – me cumprimentou, estava usando um boné e uma regata branca. - Beleza – respondi de volta. - Vamos lá então? – perguntou já se encaminhando em direção a sauna. No caminho ... eu ia lhe fazendo várias perguntas a respeito, embora fosse descobrir em breve por mim mesmo como era, eu fico ansioso com o desconhecido, Marcelo me respondia de boa, explicando o básico do funcionamento de uma sauna, os ambientes e etc. Não demorou muito para chegarmos a uma porta aberta num local isolado, entrando havia um corredor que dava a uma recepção e mais uma porta. Na recepção havia um carinha visivelmente afeminado que não parava de me encarar de forma insinuosa enquanto Marcelo pegava as chaves, toalhas e sandálias. - Fico como? Só de toalha ou com cueca por baixo? – perguntei a Marcelo já no vestuário. - Como você achar melhor, mas eu prefiro só de toalha – segui seu conselho. Marcelo foi me mostrando o lugar, o ambiente interno do prédio possuía pouca luminosidade, havia um local de bar, uma sauna propriamente dita, chuveiros, cabines e uma sala de vídeo, tudo muito simples. - Estão doidinho por você – disse Marcelo se referindo aos homens do local que não paravam de olhar com insistência para nós. Não havia muitas pessoas no lugar, era possível conta-los inclusive, espalhados por todos os cantos da sauna, a maioria pessoas bem mais velhas que eu, nenhuma me interessou de verdade para ser sincero. - Vamos tomar uma ducha – disse meu parceiro. O local dos chuveiros era uma sala aberta, sem divisórias ou qualquer coisa do tipo. Assim que entramos logo alguns caras entraram também, me encarando, eu simplesmente fingia que não estava vendo. - Vocês são namorados? – ...
«1234»