1. Seduzido pela irmã mais velha


    Encontro: 03/10/2018, Categorias: buceta, unda, madura, Incesto tia e sobrinho, flagra, Anal, Puta, Tio Traição / Corno, sexo no sofá, comida de quatro, gozada na cara, Hero, Gozada, gordinha, BBW, Hétero, Loucura, Masturbação, Orgasmo, REAL, Amor / Romance, separação, mae, Pai, Filho, Filha, Incesto, irmão, irmã, Traição / Corno, hotel, médico, médica, Infidelidade, Traição / Corno, Anal, Oral, Vaginal, Seios, Esposa, marido, amante, Heterossexual, Autor: sexlife, Fonte: CasadosContos

    Novo site galera! Visitem! contos e muita putaria https://kxcontos.blogspot.com.br/ Éramos uma típica família de classe média de quatro pessoas: eu, minha irmã, meu pai e minha mãe. (Não vou citar nossos nomes) Morávamos em uma cidade da região metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Vivíamos com algum conforto, sem exagero: Viajávamos, saiamos para comer. Tínhamos uma casa bonita e confortável, sem luxo, mas que dava orgulho. Meu pai era mecânico de automóveis e dono de sua própria oficina. Minha mãe trabalhara na enfermagem de um hospital público de urgência e emergência, antes de ter minha irmã. Saiu do trabalho, um bocado estressante, para cuidar dela. Quatro anos depois, eu nasci. Eu e minha irmã tínhamos a responsabilidade de estudar e passar na universidade federal, nada demais. Nossa relação era de qualquer irmão imaturo. Brigávamos, chamávamos um ao outro de idiota. Mas nunca tinha reparado em como minha irmã era bonita e gostosa. Ela é morena, imagino que tenha 1, 68m, olhos escuros e boca grande em um rosto com traços delicados; longos cabelos castanhos lisos e volumosos; o corpo violão e barriga reta naturalmente; seios médio e uma bunda não tão grande, porém, chamava a atenção dos homens. Eu sou magro; 1,76m; cabelos castanhos; não me acho bonito, nunca fui unanimidade na preferência das meninas da minha idade. Nunca fiquei com várias meninas ao mesmo tempo, mais por falta de oportunidade do que preferência. Tudo mudou quando a família diminuiu. De ... quatro, nos tornamos três. Meu pai morreu, por falta de interesse na saúde. Sem saber da pressão alta, teve um ataque cardíaco fulminante. Isso, muita além de nos deixar triste, deixou sem saber o que fazer. Minha mãe tentou tomar as rédeas da oficina, mas ela não é mecânica, vendeu-a e teve que voltar a trabalhar na área de enfermagem; primeiro como cuidadora, depois de se atualizar, em um hospital particular. Nessa época, minha irmã, com 19 anos, se preparava para a faculdade de farmácia e namorava um homem de 27 anos, há dois anos. Foi nesse sufoco que a relação entre minha irmã e eu começou a melhorar; começamos a nos compreender. Foi uma época de amadurecimento forçado. Depois de três anos da morte do meu pai, eu, agora com 18 anos, me preparava para o curso de arquitetura. Minha irmã, com 22, na metade da faculdade, tinha terminado com o tal homem, há um mês. Com a sensação de liberdade, minha irmã decidiu que deveríamos todos ir à praia. Minha mãe, de folga do trabalho noturno, animou-se, e eu, sem ter opção de voto, fui. Chegamos à praia a 40 minutos da nossa casa, de carro. Minha irmã usava um vestido de renda azul claro que não chamava a atenção. Achamos um lugar, largamos as coisas na areia. Eu sentei. Minha irmã, de pé, tirou o vestido por cima da cabeça, na minha frente. Foi a primeira vez que reparei no seu corpo. Fiquei muito sem graça de olhar na hora. Depois, pensei em um monte de sacanagem, fiquei de pau duro, mesmo tentando me censurar. Depois desse dia, minhas ...
«1234»