1. Enterrar o passado. - Capitulo XXIV


    Encontro: 02/10/2018, Categorias: Gays / Homossexual licao briga Amor / Romance Amigos, Gays / Homossexual, Autor: Amigo de vida, Fonte: CasadosContos

    Capitulo XXIV O Vini colocou o Antônio a par do que estava acontecendo, mas claro, não falou nada sobre o processo ou o Tavinho estar envolvido. - Bem senhor ontem as coisas ficaram muito tensas por aqui, seu pai realmente ficou muito mal, claro já sabíamos da construção da empresa, essas terras são longe daqui tem entrada pela outra estrada, são terras que realmente não servem para a criação de animais de porte. Ele nos contou como estavam as coisas na fazenda, sobre a criação do gado, mas que teríamos que falar com o contador para saber sobre as contas da fazenda, ele só cuidava do gado mesmo. Mas nos tranquilizou, por que se houvesse algum problema maior ele saberia, o contador era amigo dele. – ele ficou meio envergonhado quando disse isso. – - Bem, você poderia pedir para ele vir até aqui para conversarmos com ele? – A Paula era muito pratica, se tem que fazer, vamos fazer. – - Claro senhora, vou ligar agora mesmo. – quando ele estava saindo. – - Acha que eu poderia falar com seu pai?? – o Vini falou – - Claro senhor, só vou ligar para o contador e já lhe acompanho. - Ele está na casa de vocês? Eu sei o caminho, podemos ir andando e eu vou vendo como estão as coisas, faz muito tempo que não venho aqui. - Claro senhor, bem, a fazenda é sua pode fazer o que quiser...levo o menino junto comigo depois, acho que agora ele ta grudado no bolo da mãe. - ele estava sorrindo pro Vini, acho que a ficha ainda não tinha caído. – - Tá bem, depois lhe encontramos lá então. – Saímos ... pelo pátio da fazenda, era realmente um lindo local, pouca coisa tinha mudado nesses anos todos, as cores eram diferente eu acho, nunca prestei muita atenção na fazenda eu só ia ali quando o Vini queria ver a vó dele e conseguia me convencer a ir junto, nunca gostei muito do pai dele, eu sabia que mais distante tinha um açude onde eu e o Vini íamos quando éramos novos, ali a gente fez muita coisa, comecei a rir, o Vini me olhou. - Do que está rindo Gus? - Tava lembrando do açude Vini – ele ficou vermelho na hora e começou a rir. – - Vocês podem me poupar dos detalhes não é ... - a Paula sabia do que estávamos falando, começamos a rir. - Chegamos nas casas dos empregados da fazenda, eram um pouco afastadas da casa principal, mas perto de onde ficavam os currais, os celeiros, e os animais, eram no total de 15 casas lado a lado. O Vini foi direto para a casa do seu Julio, todas eram brancas, encontramos o Senhor sentado na varanda da casa olhando em direção aos animais. Quando ele nos viu chegando... - Senhor Vinicius, eu imaginei que o senhor iria aparecer, como está? – ele se levantou era um senhor de sessenta e poucos anos, forte ainda, não sei onde que o pai do Vini achou que ele estava velho. O Vini ignorou a mão estendida e deu um abraço no senhor. Eu não lembrava muito dele. - Menino Gustavo, a quanto tempo? Mas está muito diferente, não vejo o senhor a muito tempo, muito mais tempo do que não vejo o senhor Vinicius com certeza. - Ele cumprimentou a mim e a Paula, achei ...
«1234...8»