1. Firmando compromisso como amante.


    Encontro: 29/09/2018, Categorias: Lésbicas, Autor: Katyf, Fonte: ContoEroticoComBr

    Depois de algum tempo envolvendo com minha coordenadora, a gente resolveu que não podíamos mais ficar arriscando no trabalho, estava ficando perigoso demais, apesar de delicioso. Foi então que Silvia me fez uma proposta; Katy, acho que a gente devia procurar um motel discreto ou uma casa para ficarmos mais a vontade o que acha? Concordei e disse que alí perto mesmo minha mãe tinha umas casas pra alugar, que eu poderia pegar a chave e a gente se encontrar lá as vezes, apesar de não estar mobiliada eu posso falar com minha mãe que vou deixar uma cama que não quero mais usar guardada lá, pois lá em casa não tem mais espaço. Tudo que a gente precisava era uma cama, no mesmo dia procurei algum que pudesse montar a cama pra mim, ninguém desconfiaria, seria o plano perfeito. No final de semana seguinte marcamos de nos encontrar, depois do trabalho na sexta, já podíamos ir direto pra lá, me certifiquei de colocar toalhas na bolsa, uma roupa mais confortável e verifiquei se o chuveiro estava funcionando e se tinha condições de ficarmos a noite por lá. Chegando na casa, ajeitei nossas coisas em um canto, bolsas, sandálias e nos beijamos até no quarto como de costume, a cama que eu havia levado era de casal com um colchão macio, que seria perfeito pra nós duas. Silvia foi logo me despindo e me lambendo toda, fiquei somente cutindo aquela sensação boa. Não demorou muito ela quis me penetrar, na buceta, no cuzinho, eu fiquei lá, deixando ela colocar os dedos onde ela bem entendesse. ... Começou me colocando de quatro, me abraçando por trás e lambendo minha orelha, depois percorreu minhas costas com a língua até meu bumbum, chegando no meu cuzinho ela lambeu de cima pra baixo até chegar na buceta. Aquela língua parecia conhecer meu corpo melhor que eu. Eu me deitei e fiquei esperando a reação dela, ela subiu em mim, colocando sua buceta em minha boca, quase me sufocando com aquele bucetão delicioso. Ela tinha pego gosto por esfregar na minha cara, desta vez ela percorreu todo o rosto, me melou toda. Eu era quase um brinquedinho nas mãos da minha amante, ela me levava de um lado pro outro da cama, me penetrava, me jogava na cama. Silvia parece que andou pesquisando coisas relacionadas, pois ela fazia posições diferentes, em uma delas, ela levantou uma de minhas pernas, eu deitada de frente pra ela, segurava minha perna no alto e se posicionava como se fosse me penetrar, mas ao invés disso esfregava aquele grelinho gostoso no meu. Quando eu resolvi chupá-la eu percebi que ela inclinava demais o bumbum pra mim, tentei penetrar com os dedos tentando entender, mas ela queria língua, rapidamente eu comecei a lamber aquele cuzinho, já estava acostumada com a sensação, mas sempre achava o máximo. Ela com a bunda empinada e eu com a língua dentro, sensação difícil de descrever. Acho que ela estava começando a escolher suas posições preferidas, sempre me deitava e ficava por cima passando o cuzinho na minha boca, acho que ela preferia porque conseguia controlar com mais ...
«123»