1. RELATOS DE UM HOMEM RECENTE: O aluno e a professorinha


    Encontro: 26/09/2018, Categorias: sala de aula, mulher mais velha, gostosa, Professora, Professorinha, sonhos eróticos, Sexualidade, Virgindade, adolescência, Masturbação, Punheta, puberdade, Heterossexual, Autor: Marquês de Sade, Fonte: CasadosContos

    cheio de línguas, enquanto o meu pênis duro feito uma rocha por dentro do short a imprensava num canto deixando claro que eu queria que ela me aliviasse, mas a mocinha queria se manter virgem, natural, tinha apenas catorze anos, mas eu insistia enquanto apertava as suas tetas com loucura, insistia para que nós déssemos um passo a mais, insistia de tal forma que cheguei a arrancar aqueles melões de blusa dela para chupar o bico do seio esquerdo mesmo ela insistindo para parar, insisti de forma tão inoportuna que coloquei o pau para fora, mais duro impossível e apontado para cima, ameaçador a tal ponto que ela gritou, começou a chorar e foi embora. Sei que fui um babaca, mas apenas me lembro que fiquei com raiva daquela garota puritana, até mesmo porque voltei para casa mancando, haja vista que os meus testículos estavam doendo impossibilitando que eu andasse normalmente e ainda havia uma grande caminhada... Não havia jeito, quando cheguei à minha casa, me tranquei no banheiro, arranquei toda a minha roupa de forma abrupta e comecei a me masturbar com força, com ódio, com raiva porque eu precisava transar, o meu corpo implorava para que eu comesse uma buceta, era algo que eu desejava enquanto eu ejaculava tendo o meu orgasmo solitário solicitando ao universo a clemência: Eu quero uma mulher! Não tinha mais namorada, haja vista que a gordinha ficou traumatizada, o que era natural, mas o pior é que a história se espalhou entre as meninas da escola e todas elas passaram a me ... ignorar, até mesmo porque as mulheres ou são muito unidas, ou muito desunidas, difícil entender, porém o fato era que eu já aceitava que não conseguiria foder uma bucetinha tão cedo, que lástima para tão jovem rapaz que apenas deveria se dedicar ao futebol e tentar aliviar o fogo que o consumia de forma solitária. Todavia, mal imaginava que meu coração iria encontrar uma deusa a quem pudesse adorar, jamais poderia imaginar que naquela escola eu encontraria a minha Vênus que me mostraria à luxúria, tudo isso nas mãos de uma professora de história, uma professora com cabelos castanhos ondulados, com óculos de leitura, com roupas sóbrias que não poderiam esconder uma bunda arrebitada e um ar de tristeza. São gloriosas as lembranças que eu tenho da professora Elvira porque com toda a certeza ela representa o meu primeiro amor, disso eu tenho certeza porque logo quando a vi no primeiro dia de aula com aquele olhar nublado pela tristeza, o meu coração se contorceu de um sentimento tão bom que eu queria estar ao lado dela, eu queria sentir o seu cheiro, eu queria ouvir a sua voz falando sobre a Guerra do Poloponeso, ah, podem ter a certeza que eu sei tudo sobre essa guerra, aliás, posso dar aulas sobre o assunto! Uma mulher perto dos trinta anos, muito bonita e casada porque... Em uma cidade pequena os assuntos voam e eu ouvia a minha mãe falando com as amigas dessa nova professorinha que tinha chegado recentemente para acompanhar o cônjuge engenheiro que seria o responsável pela avenida ...
«1234...9»