1. Desejo pela Cunhada – Tente não ficar de pau duro – Parte II


    Encontro: 24/09/2018, Categorias: Exibicionismo, Autor: Anonimo.anonimo, Fonte: ContoEroticoComBr

    Olá pessoal, hoje eu vou contar a segunda parte da minha história! Bom, uma semana depois do acontecido, marcamos um almoço em família na casa do Rafael e da Gabi, passamos um dia muito agradável e ao mesmo tempo um tanto triste para mim, pois eu estava na esperança de encontrar as calcinhas da Gabi novamente no banheiro, porém, para o meu azar, eles já haviam consertado o banheiro da suíte e eu não achei nada no banheiro social, mas em fim, o fato é que depois de tudo aquilo que aconteceu, eu não tirava mais a Gabi da minha cabeça, eu precisava vê-la nua, sentir o seu cheiro, tê-la em meus braços, ouvir ela gemendo, mas eu não sabia de que forma eu iria fazer isso! Então eu comecei a bolar vários planos, mas cada um mais arriscado do que outro, porém, eu precisava fazer isso! Perguntei para o Rafael como estava indo o serviço e ele me disse que na segunda feira bem cedo precisava ir em uma reunião em Belo Horizonte e que ficaria por lá pelo menos 3 dias. Pensei comigo “essa é uma ótima oportunidade para eu aparecer aqui amanhã bem cedo”, então perguntei para Gabi: E você Gabi? Como vai no trabalho? Muito serviço? (Eu não disse na primeira parte do conto, mas a Gabi é formada em Arquitetura e tem um escritório no centro da cidade). E ela me disse: “Ah Marcelo, estou lotada de serviço no escritório, quase não estou dando conta, saio de casa todos os dias bem cedo e só volto às 18:00hs, as vezes não venho nem para o almoço, acabo comento algo por lá mesmo”. E lá se foi o meu ... plano inicial de vir para casa dela cedo. Mais tarde naquele dia eu ainda pensava em como aproveitar a oportunidade da viagem do Rafael e acabei tendo uma ideia, um tanto arriscada, mas eu estava disposto! No outro dia (segunda-feira) lá pelas 18:00hs, liguei para a minha esposa e disse que não precisaria me esperar para o jantar, pois eu ainda tinha muitos pacientes na clínica e por isso não sabia que horas eu iria chegar em casa. Peguei as chaves do meu carro e fui para a casa da Gabi, estacionei na rua de trás e fiquei de longe observando ela chegar. Não demorou muito, ela chegou e entrou com o carro na garagem. Esperei por uns 15 minutos e fui até lá tocar a campainha, ela me atendeu no interfone, e eu disse: “Gabi, é o Marcelo”, rapidamente ouvi o barulho da tranca do portão destravando, fui entrando e ela veio ao meu encontro dizendo: “Oi Marcelo, tudo bem? Pode entrar! Só não repara a bagunça, mas é que eu acabei de chegar do escritório…” e eu disse: “Olá Gabi, tudo ótimo e você? Imagina, fique tranquila! Eu é que peço desculpas por vir essa hora e sem avisar, mas é que eu acho que ontem eu esqueci o meu óculo aqui na sua casa, pois eu não encontro em lugar nenhum e está me fazendo muita falta”. E ela disse: “Ah, fique a vontade para procurar, enquanto isso eu vou ali na cozinha fazer um suco, para tomarmos, estou morrendo de sede…” Enquanto ela fazia o suco, eu fingia que procurava o óculos na sala, mas na verdade, eu só a observava, ela estava muito linda de social, ...
«1234»