1. Fui comer uma galinha e acabei cagado


    Encontro: 22/09/2018, Categorias: sítio, escondido, gozada interna, Tesão, Zoofilia, Autor: Fuckmare, Fonte: CasadosContos

    Pessoal tudo blz.... Estou aqui novamente pra descrever outra experiência minha na zoofilia. Como ja disse , moro em sítio no interior do Paraná e esse conto aconteceu quando eu tinha uns 16 anos. Certa noite eu estava com o tesão a mil, mas não estava a fim de punheta, queria mesmo era fuder. Minha mão não estava em casa, pois havia ido viajar para a casa de minha tia, e meu pai ja estava dormindo devido ao cansaço do dia de trabalho. Pensei então: vou meter em uma galinha. Nessa hora eu ja estava com o pau duro igual pedra. Tirei minha cueca, coloquei um shorts de jogar bola e uma regata, deixei a TV ligada na sala para disfarçar (apesar de que seu meu pai acordasse, ele sabia muito bem das minhas aventuras) e fui em direção ao viveiro. O viveiro era um local coberto cheio de plataformas de madeira onde as galinhas se juntavam para dormir e se proteger das chuvas. Chegando la, peguei a lanterna que havia levado e comecei a apontar procurando minha vítima. Meu pau quase não cabia no meu shorts, eu precisava meter em um cuzinho urgente. As primeiras galinhas que eu vi eram um pouco pequenas, mas a quarta galinha era bem grandona. Apaguei a lanterna, cheguei perto devagar e agarrei a mesma pelos pés e segurando sua cabeça para que não começasse a gritar. Coloquei ela no chão, com uma mão segurei e com a outra liguei a lanterna e apontei para seu cu. Quase gozei na hora que vi aquele cuzão rosado piscando pra mim. Peguei ela, sai do viveiro e fui para o celeiro que era ... fechado e eu poderia ficar mais tranquilo. Cheguei no celeiro, peguei um barbante e amarrei os pés da galinha. Tirei minha roupa, fiquei completamente nú e comecei a me punhetar. Deixei a lanterna ligada no chão proxima da parede para fazer pouca luz para não assustar a galinha e ao mesmo tempo para que eu conseguisse ver. Ajoelhei no chão coberto de palha seca e feno e puxei a galinha para perto. Aquele cú não parava de piscar pra mim, como se me convidando para entrar logo nele. Ergui o rabo dela, dei uma boa cuspida e enfiei um dedo devagar e fundo. Meu dedo entrou fácil, mas ela começou a se debater. Peguei minha camiseta e coloquei nela de forma que suas asas ficassem apertadas e sua cabeça ficasse coberta, ficando a mostra somente sua traseira e encostei ela em um canto para que não se movesse para frente. Cuspi novamente e dessa vez meti dois dedos fundo, que entraram facilmente tbm, Não era de esperar menos, já que aquele cuzão era muito grande. Ela tentou se mexer novamente, mas a camiseta impediu. Meu pau não podia mais esperar. Lambuzei ele de cuspi me posicionei atras da galinha, ergui seu rabo e coloquei a cabeça de meu pau na entrada. Fui entrando devagar e a cabeça entrou facilmente, contudo quando forcei para continuar ela deu um grito e eu tirei. Esperei um pouco e comecei a meter novamente. Segurei ela firme, entrei a cabeça e continuei entrando devagar. Ela tentava se mexer, mas eu estava segurando bem firme e continuei a socar, até que senti que tinha entrado ...
«123»