1. MEU SÁDICO – REAL


    Encontro: 09/09/2018, Categorias: Com Fotos, Sadomasoquismo, Autor: Cristina Silva SW, Fonte: ContoEroticoComBr

    Aquela manhã se revelava a frente de Cristina radiante ! A vida urge, café da manhã no quarto do hotel e logo ela foi informada que fizesse uma bolsa com trocas de roupas e o mais necessário , iriam sair. Será feito, as palavras do DONO seriam prontamente obedecidas. A MENINA percebe o sorriso interior através dos olhos do DONO, o dia seria acompanhado de surpresas…Deliciosamente . Ela confia, aguarda e obedece as ordens pois sabe que a recompensa será inebriante. Preparativos a contento… Há uma parada antes de chegarem ao destino, um drive in demasiado desgastado, motivo? “Saberá mais tarde MENINA.” Neste ambiente Cristina é deliciosamente fodida, ele segura sua cabeça em direção ao pau duro, fazendo um boquete , sentindo o gosto dele no fundo da garganta, de repente ele a coloca no banco de trás, portas abertas, os dois expostos, ele passa a penetrar ao fundo de sua intimidade, bomba fortemente, segura em seus cabelos e fode, ela geme e pede mais… Ele sai de dentro dela e passa a chupar sua BUCETA quente e molhada, suga com intensidade, ela se contorcendo e olhando para o céu azul…fecha os olhos e se entrega ao gozo desenfreado que se aproxima, gemidos, barulhos e ritmos aumentando, respiração ofegante, músculos que se contraem…o gozo forte, ela goza na boca do DONO, deliciosamente. Momento de paz …. Corpos suados, satisfeitos… Urge prosseguir! Ao chegar no destino, ela já conhece : A masmorra! Sim, local de intensas sensações e emoções, local denso em intensidade, ... visceral! “Se troque Cristina, em 10 minutos estou de volta!”, ordenou e ela atende, se arruma com capricho, neste momento entra numa espécie de transe, está pronta. O tempo passa, ele surge,altivo e SOBERANO. Ela pergunta: “O agrada?” Responde apenas: ” Veremos se agrada.” Com a satisfação da fêmea ALPHA prestes a acasalar com o MACHO ALPHA, ela se deixa invadir por aquele momento único: O SENHOR e a MENINA. Ele a coloca de joelhos no cimento frio da masmorra, a deixa por algum tempo, a SEUS pés, onde é o lugar dela. a mercê de SEUS cuidados e castigos: o silêncio é absoluto. Subitamente ele a pega pela argola da coleira e a levanta, porque não pela mão, algo está prestes a acontecer. Ela é encaminhada ao cavalete, vendada…agora está realmente entregue: olhos vendados, pernas imobilizadas, mãos amarradas, ela nada vê, apenas sente a corda acariciando sua pele, sente o trançar da corda… refém daquele momento imensamente esperado. Passados alguns minutos ela tenta assimilar e desvendar o que virá, ela nunca sabe, mas sente que será perfeito. Ela sente SUA presença próximo, tal qual fera rondando a presa, a espera do bote, de repente ela sente o golpe do chicote nas nádegas, sente que de fato suas dores e delícias começaram, sem poder ver, mas podendo sentir de forma mais intensa, seu corpo se contorce em prazer , na entrega, como se o mundo parasse , horas tem conceito totalmente diferente quando estão juntos. Ela sente o cheiro de incenso, velas …Fogo!! Ela sente algo sendo ...
«12»