1. Papaku - Putaria gostosa com um novinho casado


    Encontro: 12/07/2018, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: betopapaku, Fonte: ContoErotico

    Ah, certos cus são maravilhosos, inesquecíveis! O Eduardo foi um deles.Esse putinho tesudo era filho de um casal de vizinhos meus. Com 19 aninhos engravidou uma menina chamada Babi, e teve que vir morar no fundo da casa dos pais, até conseguir achar um canto. A primeira vez que o vi já foi o suficiente para deixar o Papaku duraço.Branquinho de cabelos pretos, rostinho imberbe, corpo carnudinho, sem ser gordo. Pernas lisas e uma bunda deliciosa. A boca parecia um convite ao beijo.O melhor é que todo fim de semana ele lavava o carro com mangueira na calçada e eu ficava delirando com aquele corpo tesudo. O short molhado revelava um corpo que parecia feito para a sacanagem. A esposinha dele, de barrigão me tratava muito bem, sem saber que eu estava louco para enrabar o seu marido.Tomei a iniciativa num dia em que ele estava sem camisa, de short, mexendo no motor do carro. O tesão foi tão grande que eu armei o bote.- Fala, Eduardo! Mexendo na caranga?- Pois é! Tá foda consertar essa porra!- Cara, tô com umas cervas geladas, no ponto! Topa ir lá tomar umas?- Pô, cara... sei lá. A Babi não gosta que eu beba!- Fala pra ela que você vai pegar umas ferramentas lá em casa... dá um perdido nela.Ele topou a ideia. Chamou a esposinha que apareceu na janela e disse:- Amor, eu vou na casa do Betão pegar umas ferramentas.- Tá bom, amor! - disse a esposinha inocente e grávida - Não demora que o almoço tá quase pronto.Fomos pra minha casa, que é quase do lado, já naquele clima de quem estava ... fazendo algo escondido. Sem camisa ele mostrava mamilos rosadinhos e convidativos. Minha maior dificuldade era disfarçar a ereção.Ele sentou no meu sofá e eu liguei a TV enquanto ia buscar as cervejas na geladeira.- Toma aí, Eduardo! Você é muito novo pra não poder tomar uma cervejas!- Pois é.. mas a Babi pega no meu pé!- Relaxa, cara... vamos curtir!A primeira cerveja sumiu logo, assim como a segunda. Quando pegamos a terceira rodada eu comecei a rodear:- Mas e aí, Edu... como é casar tão novo?- Porra, Papaku... é legal, eu gosto muito da minha mulher. O foda é que agora não dá mais pra curtir a vida de solteiro.- Ah, eu sei como é... eu conheço vários carinhas que casam, mas continuam curtindo. Eu mesmo já peguei vários!Ao ouvir isso, seus olhos arregalaram.- Como é que é?- É isso mesmo, Edu. A verdade é que eu adoro comer bunda. Mas isso fica entre nós, é nosso segredinho. Nesse mesmo sofá em que você está eu já comi vários cuzinhos de caras como você.Eduardo não sabia onde enfiar a cara.- Cara, eu nunca imaginava que você curtisse comer homem.- Eu vou te mostrar uma coisa, Eduardo. Afinal, nós sómos homens e não precisamos ter preconceitos.Tirei primeiro a calça e joguei longe. Então tirei minha sunga, liberando o Papaku, que já estava duro e pulsante. Eduardo quase teve um troço.- Porra! Que tamanho de pica!Sentei do lado dele e comecei a mexer no Papaku lentamente.- Eduardo, com um pau desses eu sou muito assediado. Só que meu negócio é comer cu. Comer cu de homem. Se for ...
«1234»