1. Mãe, eu não consigo estudar ao seu lado, você me excita!


    Encontro: 14/06/2018, Categorias: Incesto, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Os pais de Benício estavam separados há oito anos e ele foi morar com o pai. A mãe, Dalila, convencida de que havia perdido muito tempo, tratou de fazer um cursinho, estudou bastante e entrou na faculdade de Direito. Formou-se com distinção, fez o concurso da OAB, passou e começou a advogar. A par disso, sabendo que não tinha mais chance de voltar com o ex, procurou se cuidar, passou a frequentar academia, e seu corpo estava “tinindo”. Teve a grata surpresa de ver que seu filho Benício, terminando o ensino médio, também ingressara na faculdade de Direito. Que interessante, pensou ela! Ele mora com o pai, que é engenheiro, mas na hora de escolher carreira, escolhe a da mãe. Que legal! Moravam bem perto um do outro e ela teve a surpresa de ver, num sábado de manhã, ver o ex-marido fazer sinal de que iria lá. Logo, pai e filho chegaram em seu apartamento. E o pai explicou o motivo da visita: – Olha Dalila, o Benício está com dificuldades enormes na faculdade e eu não tenho a menor condição de ajudá-lo, não é minha área, não entendo quase nada de leis. Consegui convencê-lo de que deveria passar este fim de semana com você, porque é você quem tem condição de explicar essas coisas pra ele. Algum problema? – Claro que não! Imagina se eu não iria ajudar um filho meu! Ainda mais na área que eu domino razoavelmente! Entra Benício, vamos começar agora mesmo. Vou cancelar tudo que tinha pensado pro fim de semana e vamos ficar juntos estudando! Despediu-se do ... ex-marido e entrou com o filho. – Querido, vai colocando as coisas ai na mesa e separando o que você precisa estudar, que eu vou trocar de roupa. Tinha me vestido pra sair, mas já está resolvido, este fim de semana eu sou sua. Vamos ficar aqui o tempo todo, então vou vestir algo mais confortável. Enquanto ela se dirigia ao quarto, ele pegou na pasta um livro grosso, pesado, lápis, um caderno. Quando Dalila retornou, ele não conseguiu desviar os olhos das pernas e dos seios dela. Ela trocara o vestido por um shortinho e uma camiseta. – Filho, o calor está grande, então eu trouxe essa camiseta e essa bermuda que você deixou aqui, troque e vamos estudar. Ela também não conseguiu desviar o olho da cueca dele, onde se via um volume apreciável. Ele trocou de roupa ali mesmo onde estavam. Ela pegou o livro. Era seu velho conhecido, um dos clássicos da literatura jurídica: Curso de Direito Constitucional Positivo, de José Afonso da Silva. Benício explicou o que precisava entender para a prova da semana seguinte, ela abriu o livro e foi lendo e comentando com ele praticamente cada parágrafo. Não era professora, mas o método que ela usou seria excelente para o filho aprender. Isso se ele estivesse prestando a devida atenção… Os olhos dele não estavam concentrados no livro ou no rosto da mãe, mas nos seios dela, que apareciam em lances deliciosos quando ela gesticulava ao explicar-lhe alguma coisa. Quando, após ter lido e explicado um capítulo inteiro, ela resolveu fazer algumas perguntas a ele ...
«123»