1. Meu professor de educação física


    Encontro: 13/06/2018, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: gdeguise, Fonte: ContoEroticoComBr

    Este é meu primeiro conto e gostaria de dizer que todos os fatos aqui escritos são reais, com exceção dos nomes, por questões de preservação de identidade. Meu nome é Rafael. Tenho 19 anos, 1,71 de altura, corpo normal, moreno e cabelo repicado. O que vou relatar aconteceu há 3 anos atrás,no meu ensino médio. Eu estava no segundo ano e tive a notícia que meu professor de ed. física tinha ido para outra escola. Até aí nada demais, mas, quando vi meu novo professor… Tudo começou. Ele era simplesmente lindo, alto, moreno, barba levemente rala, coxas grossas e músculos do braço e da panturrilha levemente marcados e definidos. O nome dele era Wendell. Senti uma atração muito forte por ele assim que o vi. Aquilo nunca tinha acontecido comigo, sempre gostei de garotas, era algo totalmente novo. Nunca gostei de educação física, pois nunca fui bom em nenhum esporte e isso fez com que ele pegasse no meu pé durante o ano letivo. Eu já estava odiando ele por ser tão obsessivo comigo, prestes à esquecer todo o tesão que eu sentia por ele, quando numa aula de tênis ele me deixou fora de mim. Como eu disse, não sou bom em esportes,então eu pedi que ele me explicasse como eu receberia a bola do meu adversário, até aí sem nenhuma segunda intenção. Então ele veio, se prostrou atrás de mim, pegou na minha mão e me ensinou o movimento normalmente. Ele era bem mais alto que eu, mas ainda consegui sentir a respiração dele em mim e aquilo me deixou um pouco excitado. Então quando ele foi saindo ... de trás de mim, senti algo roçar em mim. Era o pau dele. Não podia acreditar! Comecei a pensar que poderia ser coisa da minha cabeça e logo esqueci-me disso. No mesmo dia, ao final da aula, fui até o banheiro pra tomar uma chuveirada e colocar meu uniforme normal. Saí de dentro do banheiro apenas com a minha calça jeans e com a toalha no ombro. Ele estava no bebedouro que ficava de frente para os armários, percebi que ele me encarava, mas logo desviei o olhar e vesti minha camisa que estava dentro do armário e saí. No outro dia, durante o intervalo eu estava com meus amigos, por ironia do destino, falando da professora de física que era uma gostosa. Quando eu menos esperava, Wendell apareceu e pôs as mãos na minha cintura e apertou, levei um susto e soltei um suspiro. Ele logo tirou as mãos e comentou que ouviu o que estávamos falando da Bárbara e que concordava. Fiquei com aquilo na minha cabeça e não parava de pensar naquelas mãos e naquele pau… Eu desejava ele mais do que nunca, batia punheta frequentemente pensando nele e logo depois ficava com um sentimento estranho por ter batido punheta pensando em um homem e meu professor. Eu sempre pegava Wendell me encarando de longe e às vezes ele piscava um olho só pra mim e eu encarava de volta. Um dia eu entrei no banheiro do terceiro andar do colégio, que por sinal era o mais vazio e ele estava lá. Tomei um susto, mas ainda disse: “E aí professor!” Era estranho pra mim chamar um cara que era 5 anos mais velho que eu apenas de ...
«123»