1. RAPIDINHA DOMINICAL...


    Encontro: 19/09/2017, Categorias: Grupal, vagabunda, broxa, Tia: Urina: Marquinha, Macho-Alfa: Humilhada: Sexo Selvagem, Sem Sutiã: Mãe: Calcinha: Biquíni: Piscina: Loira: Peituda: Bunduda: Gostosa: Viúva: Massagem: Tia: Sem Calcinha: Hospital: Tia: Banheiro, Virgem: Ninfeta: Amigos: Mistério: Flagra: Anal:, Heterossexual: Entregador: Negão: Favelado: Fetiche, Heterossexual: Flagra, Traição / Corno, hotel, médico, médica, Infidelidade, Traição / Corno, Anal, Oral, Vaginal, Seios, Esposa, marido, amante, Heterossexual, Autor: sexlife, Fonte: CasadosContos

    em seu peito e lhe chamando de gostosa. O gemido deixou o menino empolgado. A penetração foi ficando mais rápida e o aperto nos seios mais forte. Um segundo orgasmo não demoraria, se continuasse assim. Raliely que não é nada boba foi incentivando: - Isso! Isso! Isso! - e gozou a segunda vez. Desta vez o corpo de Raliely lançou-se para frente em um espasmo e os pés da poltrona inclinaram. Com o susto ela deu um gritinho agudo. Seu primo colocou o pé esquerdo sobre o acento da poltrona como contrapeso, segurou o rabo de cavalo da prima e enrolou no punho, puxou com força e recomeçou a foder forte e rápido como Raliely nunca imaginou que ele fosse capaz. Uma agradável surpresa, e muito bem-vinda, sem dúvidas. Só faltou ele usar a mão direita que estava livre para fazer alguma coisa. Bom, não se pode ter tudo mesmo. Foder forte e rápido já estava bom o suficiente para deixá-la com a respiração ofegante. E ele seguia a respiração dela impondo uma certa cadência, como se estivesse se concentrando para algo. Raliely só se deu conta depois que a mão direita dele descreveu um arco assoviando no ar e desceu direto espalmada na bundinha dela. O estalo soou tão, ou até mais alto que o grito dela. Adora tapas! Ela gritou mais por tesão mesmo do que por susto, enterrando as unhas na poltrona. ... Ele pode ser inexperiente, mas olha, tem um instinto e um timing muito bons ... Bons demais, ela que estava quase sossegando depois de gozar duas vezes agora ansiava por um terceiro orgasmo. ...
    Raliely mordeu o lábio inferior tentando sem sucesso reprimir sua natureza. Mas é claro que não funcionou, ela sempre foi escandalosa. No geral eles gostam muito, como podemos ver. Ela gritava cada vez que seu primo socava o mais fundo que conseguia puxando ela pelos cabelos e quando tirava o pau dava uma palmada bem ardida na bundinha dela. Quanto mais ela gritava mais apanhava e mais levava vara. E com o conjunto da obra, gozou de novo, mas desta vez não se moveu e ficou recebendo pica sem parar aproveitando que o primo ainda bombeava a rola rápido. Mas como infelizmente nada é para sempre ele deu uma última metida colando seu corpo no dela cravando o pau bem fundo. Raliely gritou mais três vezes apesar da ação estar pausada terminando de exorcizar aquela diabinha tarada que vivia em sua cabeça, pelo menos por enquanto. Seu primo rangia os dentes como que pensando: ah, porra! Eu queria mais! Raliely ficou ereta mas continuou de joelhos, deu um último gemidinho quando aquele pau, tão cabeçudo, saiu de sua bucetinha alargando os lábios. - Ufa! - suspirou rindo. O menino ainda encochando levou a boca até os lábios dela, logo estava apertando os peitos de novo e antes que ele acabasse lhe dando um chupão no pescoço Raliely o reprimiu delicadamente: - Não, não. - Qual o problema? - perguntou ele francamente espantado depois de tudo que tinham aprontado e tentou de novo. - Não - respondeu Raliely curvando o pescoço em direção ao ombro para protegê-lo - Vai me deixar marcada. Ele ...