1. Para conquistar o primo, ela foi tomar banho de sol no quintal, peladinha


    Encontro: 28/01/2018, Categorias: Incesto, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Marina estava muito tranquila em sua vida no interior. Havia se mudado, com a mãe, havia pouco tempo. Acostumada à capital, com seus arranha-ceus, seu trânsito caótico, de repente ela se viu morando numa cidade onde o prédio mais alto tinha dois andares. Ah, sim…as duas igrejas eram os prédios mais altos, devido às suas torres. Na casa tinha quintal, com horta e galinheiro. Ela logo aprendeu como lidar com esses bichos que só tinha visto, até, então, mortos, assados ou fatiados. Trânsito? O que é isso! Poucos carros passavam pela rua onde ela e e mãe foram morar. A mãe abrira uma loja de roupas femininas, aproveitando que tinha contatos bons. Mas, aos domingos, ela ia à capital para comprar roupas na feira e poder revender na nova cidade. Algumas vezes Marina ia com ela, mas já se acostumara com a vida simples e não agradava mais daquela confusão toda da capital, então preferia ficar. E teve um fim de semana que ela teve de ficar, pois haviam recebido a visita de Castor, um primo dela de segundo grau. Ele chegara na quarta-feira e ficaria até na segunda seguinte. Como ele não quis ir na capital com a mãe dela, preferiu ficar, Marina convenceu sua mãe que deveria permanecer também, para providenciar o almoço dele, os lanches… a mãe concordou e disse que iria sozinha, pois precisava aumentar o estoque da loja. De fato, Marina usara o primo como desculpa para não ir, porque estava vidrada nele. Que primo era esse Castor que apareceu de repente em sua ...
    vida? Nunca tinha ouvido falar dele e não entendia a razão. O Castor era um gato e ela ficou a fim de ser arranhada por ele! E como sabia que ele iria embora logo e nunca saberia se ele voltaria algum dia, entendeu que precisava radicalizar no domingo, aproveitando a ausência da mãe. Assim, logo cedo, após levantar e tomar seu café da manhã, levou a mãe até a rodoviária e voltou para casa, com o coração aos pulos. Castor ainda dormia, quando ela chegou. – Ótimo, pensou ela, vou poder colocar meu plano em ação. O plano era bem simples, mas ela tinha certeza de que seria eficiente. Tirou a roupa e foi tomar sol no quintal, totalmente nua! E lá ficou até ouvir o barulho que indicava que Castor tinha acordado. Ouviu que ele a chamava e aí é que seu coração quase saiu pela boca. – Estou aqui no quintal, tomando sol! E aí aparece o Castor, só de calça, e toma aquele susto vendo-a deitada na espreguiçadeira, nua em pelo. – Prima, o que é isso? – Isso o quê? – Você… desse jeito! – Ah… tem perigo não, aqui não tem prédios, ninguém me vê! Faço isso sempre! – Mas eu estou vendo… – E está gostando do que vê? – Nossa, você é maravilhosa… – Obrigada… e você, é maravilhoso também? Tire a calça, fique aqui comigo que nem Adão e Eva no paraíso! Ele ficou em dúvida se tirava, pois sabia que seu pau tinha ficado duro com a visão da prima. Mas pensou e isso foi como um relâmpago, pensamento super rápido, que ela não se incomodaria de saber que o excitara. Talvez até apreciasse! Então tirou a roupa ...
«12»