1. Um caso inesquecivel - real 2


    Encontro: 13/09/2017, Categorias: Heterossexual, Autor: sempresincero, Fonte: ContoErotico

    Olá, novamente.Antes de continuar a contar minha aventura, quero explicar porquê não escrevi tudo de uma vez.Bom são dois motivos, sendo o primeiro é mais óbvio, o tamanho. Seria cansativo contar um caso de meses em um único conto.Segundo, o tempo necessário para escrever. Tenho minhas ocupações que me tomam tempo e por isso tento otimizar o que possuo para escrever algo agradável e interessante.OK.Voltamos à minha história.Depois de ter feito ela gozar na minha mão, eu fiquei alucinado de tesão.Por mim, a comeria no meio do escritório sem me importar com as pessoas, tamanho meu desejo.Mas, ela, já consciente, me segurou em meu impulso animal. Ela se recuperava de seu orgasmo ainda arfante.Pegou minha mão e lambeu meus dedos, sentindo o próprio gosto. Me beijando na sequência.Guardou meu pau ainda duro em minhas calças e me mandou de volta para minha sala.Fui sem questionar, sentindo um misto de realização, tesão e culpa. Acabara de fazer uma mulher gozar e não era minha esposa.Eu sempre leio em contos por aqui, pessoas que traem e são muito bem resolvidas com isso.Bom isso não aconteceu comigo.Eu adorei a experiência, ter alguém que gozou somente com meus dedos. Apesar de no fundo saber que o que me ajudou nesse trabalho foi o tesao acumulado, a situação e o local proibido. Mas mesmo assim me sentia o fodedor Master.No entanto ela surgiu. A culpa.Me corroeu durante a noite. Minha mulher era espetacular, incrível. Nós sabemos muito bem, e eu a tinha traído.Eu tentava dizer ... pra mim, que como não tinha havido penetraçao, não havia traição.Mas, não funcionava.Tentei transar com minha esposa naquela noite, mas ela não quis, dizendo não estar no clima.Eu, com tesão acumulado, tive uma leve amortecida na minha culpa.Resolvi entrar no meu e-mail secreto, e não surpresa encontrar uma linda foto dela, com a boceta depilada e toda babada.Havia somente uma frase."Pensar em você me deixa assim."Eu bati uma punheta homérica, gozando fartamente em minha barriga.Tirei uma foto, e devolvi o favor.No dia seguinte eu estava ansioso por encontrá-la.Chegando no trabalho a vi de longe, ela sorriu de um jeito único e safado, q já me endureceu novamente.Trabalhei excitado durante toda manhã.Almocei correndo e voltei para a minha sala.Ela já estava lá.Me olhava com lascivia.As pernas já entreabertas, a calça justa.A boca estava úmida.E meu pau foi endurecendo comigo em pé ao lado dela.Ela não se levantou.Colocou a mão sobre meu pau e abriu a minha calça.Abaixou a minha cueca enquanto olhava nos meus olhos.Meu coração disparava.Libertou meu pau da cueca, e começou a bater uma punheta.De leve.Com uma mão ela batia.Com a outra massageava minhas bolas, bem de leve e devagar.Disse, baixinho com o rosto vermelho.- seu pau é lindo.E abocanhou a cabeça.Sua boca fervia e escorria.Ela mexia com a mão, me masturbando enquanto me chupava com gosto.Sua outra mão que estava em minhas bolas, escapava e seu dedo passeava perto do meu cú.Eu retesava a bunda, ela ria e dizia.- Calma, não ...
«12»