1. Loucura! Ela deu pra três


    Encontro: 31/08/2017, Categorias: Traição / Corno, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Mais uma que li no caderno que Meg deixou, contando suas aventuras. Nesse dia, um sábado, em que eu tinha dois serviços para fazer, ela me falou que iria com uma amiga dela passar o dia não me recordo onde. De fato, ela ficou fora o dia inteiro e quando cheguei, depois de fotografar uma festa de 15 anos, eram duas horas da manhã, encontrei-a escornada, dormindo profundamente. Nem sequer a acordei, deixei-a lá e fui dormir no quarto de hóspedes, porque imaginei que ela iria acordar cedo e eu pretendia acordar só lá pelo meio dia. Quando acordei, perguntei como tinha sido o dia dela e ela disse que foi muito agradável, estivera num sítio com a amiga, nadaram muito e por isso ela se cansara e dormira sem me esperar. Só que o caderno acabou me mostrando outra coisa, bem diferente! Acompanhem: Eu estava a fim de fazer uma coisa bem louca. Meu amigo Lourenço já tinha me convidado, há mais tempo, para uma aventura com ele e mais dois amigos. Na ocasião eu não quis, falei que não estaria a fim. Só que, naquele sábado, eu fiquei, então liguei para ele e perguntei se o convite ainda valia, ele garantiu que sim. Então vieram me pegar em casa. Eu nunca tinha feito uma festa dessas, com três caras. Sem saber nem mesmo o que vestir, acabei indo de minissaia e camiseta. Os dois amigos do Lourenço, Edmundo e Gilberto, já estavam sentados no banco de trás, eu os conhecia ligeiramente. Sentei no banco da frente, o Lourenço já me deu um gostoso beijo na boca e falou que eu ...
    não iria me arrepender, seria tudo muito legal. Perguntei onde iríamos e ele me disse que seria na casa do Gilberto, que ficava num sitio fora da cidade. Não tive qualquer preocupação, sabia que nada de mal poderiam fazer comigo, confiava plenamente no Lourenço. Pegamos a rodovia e depois entramos numa estradinha de terra. E ali a farra começou. Ele parou o carro, falou que já não estava agüentando de vontade. Vi que os dois saíram do banco de trás e logo o Edmundo chegou perto da minha janela empunhando seu pau, duro como ferro. Peguei nele e fiz um boquete. Senti que uma mão passava em minhas pernas, eu ainda estava dentro do carro. Nem quis saber de quem era a mão… deixei que ela percorresse minhas coxas, entrasse dentro da calcinha… Aí o Edmundo abriu a porta e me colocou pra fora, me fez ficar inclinada sobre o capô e enfiou o pauzão, e tome bombadas… eu via o Gilberto e o Lourenço se masturbando. Será que estavam apenas esperando um terminar para me comerem também? Deixei de preocupar, concentrei naquele que me comia e comia divinamente bem. Antes que eu gozasse, vi o Lourenço estender um pano no chão, o Edmundo deitou-se e me levou a ficar sentada no pau dele. Os outros dois chegaram, um de cada lado, me oferecendo seus paus e fiquei chupando ora um, ora outro. Aí senti que o Edmundo tirava o pau da minha xota e enfiava em meu cu. Uau… eu já sabia que alguém viria comer minha xota ao mesmo tempo, adoro uma DP… e foi o que aconteceu, com a agravante que eu ainda tinha ...
«12»