1. Arrumamos um macho para matar nossa sede de Caralho.


    Encontro: 31/08/2017, Categorias: beijo grego, seco anal, cuspe, saliva, Oral, Sexo a três, Putaria, Gays / Homossexual, Autor: Pietro, Fonte: CasadosContos

    Lembro muito bem do meu olhar, a boca dele naquele caralho que já brilhava com a saliva dele e com a minha. A rola pulsava na boca, o cara gemia, quase inconsciente, enquanto ele sugava, com vontade, com os olhos apaixonantes, dedicado, um amante de caralho legítimo. Ele cuspiu naquela rola, rindo pra mim, passando a língua rosada dele na cabeça do pau do cara, os dentes bem brancos, a cara de moleque safado. —Vai me deixar aqui, sozinho? - ele disse brincando, mostrando aquele pau pulsar. Eu fui até ele, lembro como se fosse ontem, juntos, olho no olho, lambemos todo o caralho, ele beijou a minha boca. —Sua boca fica ainda melhor com o gosto desse caralho - eu disse, bem baixinho, só pra ele. —Você ama um pau, não ama? - ele perguntou já sabendo a resposta. —Reconheceu a mesma coisa que eu!? —Que ambos somos loucamente apaixonados por chupar caralhos? — Eu me vejo nos seus olhos, você tem a mesma loucura que eu. —Vem, chupa comigo, vem! Foi nesse dia que eu percebi que a gente tinha muito mais em comum do que imaginávamos. Éramos dois boqueteiros espetaculares que não se saciavam nunca no que se dizia a boquete. Foi doido porque isso nos aproximou demais, estávamos apaixonados, e vidrados na nossa loucura por pau. Foi então que conhecemos Renato, procurávamos um cara que topasse ser chupado o tempo que fosse, explicamos nossa fantasia, nosso gosto por caralhos. Renato se apresentou no tinder, dizendo que tinha ficado louco com a nossa descrição, disse que tinha uma namorada ... mas curtia um boquete amigo, sem frescura. Fred, meu namorado, e eu havíamos gostado do cara e o convidamos então para nossa primeira sessão de boquete com o cara. Renato era macho no ponto certo, grandão, com cara de turco, barbudo, meio gordo, braços grandes e pesados, bebeu cerveja, tinha papo fácil, agradável. No meio do encontro ele me encarou. —Vocês querem ver meu pau? —Mostra- eu disse curioso. Eu e Fred atentos enquanto assistíamos aquele macho abrir o zíper da calça, ele se levantou pra abaixar a calça toda, usava uma boxer vermelha. —Olha como eu tô só de imaginar essas bocas nele- disse Renato apertando o pacote recheado de sua boxer vermelha. Ele abaixou a cueca, seu pau era mais escuro que o corpo, era grosso, não podíamos negar, tão grosso que a mão não fechava. Cheio das veias mais suculentas que eu já havia visto. Meu namorado admirava aquele belo espécime de caralho enquanto ele sentava largado no sofá, bebendo sua Heineken gelada, eu peguei primeiro, estava quente, pulsando, a cabeçona babava num espetáculo silencioso. Fred pegou junto, ambos olhando aquele caralho, era grande também, uma pica poderosa, as bolas pendiam em um saco pesado e grande que encostava no sofá. —A vontade - ele disse rindo - Só preciso saber de uma coisa, posso fumar enquanto vocês se divertem aí? —Faz o que você quiser - Eu disse. Ajoelhei no meio daquelas pernas peludas e grandes, meu namorado coube certinho do meu lado, mesmo sendo os dois grandões, as pernas do cara nos abrangia ...
«1234...7»