1. Foda no Carro Novo


    Encontro: 27/02/2019, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: neivaleo, Fonte: ContoErotico

    E aí pessoal, como vocês estão? Meu nome é Léo, tenho 25 anos, 1,83m, 84kg. Sou bi, ativo, malhado, marrento, e não nego fogo. Recentemente consegui trocar de carro e há uns dias consegui "inaugurar" ele, daquela maneira que todos nós, safados de plantão, gostamos.Conheci um carinha num show beneficente promovido por uma grande escola da minha cidade. Ele é dançarino e faz parte de um grupo de dança que se apresentou. Seu nome é Vítor, tem 27 anos, negro, 1,80m de altura, um corpinho todo definido e gostoso, um par de coxas deliciosas, uma bunda ma-ra-vi-lho-sa... Enfim, fiquei no céu. Nos conhecemos um dia, tivemos um primeiro encontro bem apimentado, e sabia que Vítor seria a pessoa ideal pra inaugurar meu lindo carrinho novo. Convidei ele pra ir pra uma praia mais distante, ao sul da minha cidade, e fomos no meu carro.Já na praia, que é bem paradisíaca e cheia de arrecifes e lugares isolados, começamos nosso jogo de sedução e fomos pra uma piscina natural isolada onde ficamos aos beijos. Coloquei Vítor no meu colo e aquele moreno, safado que só ele, começou a roçar aquele bundão gostoso na minha pica, que já tava quase saindo da sunga. Beijava Vítor, ele ofegava, eu apertava seus mamilos, lambia seu pescoço e apertava sua bunda.Disse que queria que ele chupasse meu pau e ele não se fez de rogado, olhou em volta rapidamente, tirou meu pau de fora da sunga pelo buraco da coxa e colocou ele todo na boca. Eu gemia, rouco, enquanto olhava pros lados, já que não estávamos ...
    completamente escondidos.Aquela sensação de que podiam nos pegar à qualquer instante me deixava cada vez mais excitado. Vítor me chupava de quatro e sua bunda empinada ficava de fora da água daquela piscina natural. Instintivamente meti uns tapas naquela bunda e eu ouvia Vítor gemer, entrecortado, com meu cacete na boca e eu comecei a meter a mão dentro da sua sunga, procurando aquele buraquinho que piscava de tesão. Após alguns minutos com Vítor me chupando, ouvimos vozes e decidimos parar aquela putaria.- Porra, que boquinha gostosa que você tem, lindo. - falei, acariciando discretamente os mamilos de Vítor.- Para com isso, tem gente. - disse ele, ligeiramente envergonhado, ao ver que pessoas passavam ao longe..Sorri e observei a mulher que passava com o marido e os dois filhos, ela olhando feio pra mim enquanto o marido procurava um local para a família se instalar. Ao mesmo tempo, debaixo d'água, invadi discretamente a sunga de Vítor e fiquei brincando com meu dedo no seu buraquinho quente, que recomeçou a piscar feito louco. Vítor tentou me impedir, mas forcei um dedo pra dentro dele e ele passou a disfarçar os gemidos, tentando não mover a boca, e apertava os olhos. Eu só fazia sorrir, adorando aquela situação.- Faz isso não, safado... - ele disse, meloso, piscando aquele buraquinho gostoso com meu dedo dentro dele.- Faço... Quem manda você me deixar doido de tesão? - respondi, com um sorriso safado.Quando a família tradicional finalmente sumiu dali, Vitor olhou em volta ...
«1234»