1. Eta boquete da porra!


    Encontro: 19/02/2019, Categorias: Masturbação, Heterossexual, Autor: cads21, Fonte: CasadosContos

    Hoje eu lembrei do último leitinho que eu te dei. Depois de fazermos um tour pela as dependências da casa, você me mostrava os detalhes da reforma. Voltamos para a sala e já saindo pela porta, você me abraçou por trás e suas mãos vieram direto sobre meu membro que já estava ereto e duro. Estava com muito tesão em ver você de saia, seus seios pontudos roçando o tecido, revelavam que estava sem sutiã. Rapidamente, você abriu o zíper e o botão da calça que, com o peso dos bolsos, caiu sem cerimônia indo se alojar sobre os meus pés. Antes de qualquer reação, suas mãos vieram abrindo botão após botão de minha camisa até descobrir meu peito. A última manga descia pelo meu braço, expondo-me diante de você. Estava de cueca e meia totalmente entregue aos seus cuidados. Durante um longo beijo, suas mãos apalparam meu pau sobre a cueca. Você a desceu até o meio das coxas. Acaixou,encheu as mãos com meu pau, iniciou um vai e vem, em seguida, o enviou na boca para acompanhar o movimento. Minha posição era privilegiada, olhava sua ação do alto e vibrava com o espetáculo. Quando descobria o prepúcio da minha glande, você tirava a boca bem lentamente fazendo uma sucção até a pontinha da cabeça. Isso, deixava-me doido. Na sua condução, assentei-me para que o chupasse de cima para baixo em movimentos rápidos. Tão rápidos que sentia bater no fundo de sua boca. A reação era natural, sua ânsia de vômito, trazia muita salivação. O resultado, era um pau todo babado e virilha também. Apesar do ...
    desconforto, em seus olhos cheios de água, era nítido o quanto era prazeroso pra você está ali se deliciando. Meu pau era como uma guloseima na sua boca, você se esbaldando e passando a impressão de que não largaria facilmente. Era só seu, seu prêmio, sua conquista. Sinceramente, quis foder sua boca ao segurar sua cabeça para que o movimento fossem mais intenso. A sua negativa porém, pedia, para si, o controle da situação. Então, deixei que ficasse ao seu bel prazer. De certa forma, sairia muito bem recompensado. Enquanto estou os meus devaneios, sua língua está lambendo-o todo, espalhando toda saliva de alto a baixo e vice-versa. Nem meu saco escapou das lambidas e minhas bolas foram parar dentro da sua boca. Você esticava meu saco até onde eu suportava e abria a boca para ver meu saco encolher trazendo de volta às bolas para mim. Diria que você está insaciável porque repete por várias vezes esse movimento enquanto suas mãos bolinar todo corpo de meu membro ainda brincando com a saliva sobre ele. Puta que pariu, o prazer é intenso. Arrepio todos os pólos do corpo, meu coração bate em total descompasso e uma respiração ofegante são o que consigo descrever desse momento. Estou assentado, pernas abertas e você ajoelhada, encurvada sobre mim, sobre meu pau. Às vezes, é tão enlouquecedor que fecho os olhos, mordo lábios, ranjo os dentes, fico prestes a sair de mim, abro os olhos e sou protagonista da realidade é ficção, abro a cortina, seus cabelos caem da cabeça tampando minha visão ...
«12»