1. A Ex do meu namorado (real)


    Encontro: 10/02/2019, Categorias: Traição / Corno, Autor: gabkiel, Fonte: ContoErotico

    transparente que deixava seus seios amostra. Durante todo o tempo, senti que ela se insinuava pra mim e imaginei se Gui havia falado sobre minhas preferências sexuais. Cheguei a suspeitar que fosse alguma espécie de “teste”, tipo “teste de fidelidade” do João Cleber, mas isso me pareceu muita loucura...O fato é que ela era linda, estava quase nua, se oferecendo toda, fazendo força para me seduzir. Eu não consegui evitar o tesão, pois há mais de seis meses não ficava com mulher. Acabei deslizando... falávamos de sexo, sentadas lado-a-lado... ela estava tão excitada que eu conseguia sentir o cheiro de sua buceta... quando dei por mim, estávamos nos beijando, nossas mãos, sem controle, acariciando coxas, virilhas, seios...Estávamos naquela quando o interfone tocou. Era o Gui, que, como sempre, havia esquecido a chave. Fui salva pelo esquecimento. Suzana subiu para seu ap antes de Guilherme chegar. Tentei disfarçar o melhor que pude, mas estava me sentindo culpada, irritada pelo tesão frustrado e, antes de irmos deitar, acabei confessando o que havia rolado. Ele ficou meio emburrado, não aceitou as desculpas que pedi chorando, mas, depois, quando eu comecei a tocá-lo no escuro do nosso quarto, não resistiu. Estava excitadíssimo e me comeu maravilhosamente. Ainda assim, (sei que você está lendo agora) preciso confessar que gozei pensando na sua ex.Bom, depois disso, falei com Suzana, dizendo que havia sido um erro o que tinha rolado e que não aconteceria de novo. Ela foi bem ...
    compreensiva, pediu desculpas por ter dado em cima de mim, mas, então, deixou escapar algo: disse que lia meus contos aqui neste site e que isso a excitava demais, levando-a a perder o controle. Mas a ÚNICA PESSOA NO MUNDO que sabia quem é Gaby Kiel de verdade era o Guilherme! Nunca contei para outra pessoa além dele. E essa era a prova de que eles ainda tinham uma relação bem íntima.Descobrir isso mudou tudo. Deixei de me sentir culpada. À noite, quando Gui chegou, deixei a raiva de lado. Estava totalmente senhora de mim, pois já havia decidido deixá-lo, pois, definitivamente, ele não era quem em pensava ser (inclusive, liguei para o meu senhorio de Joinville e pedi para não alugar meu ap). Mas eu precisava sair por cima.Fomos pra cama naquele dia e eu agi normalmente, apenas fui mais putinha do que o costume... cavalguei na sua pica, gemi e gritei alto e até enfiei um dedinho no seu cu (como você adora, embora não admita). Depois, deitadinha ao lado de Gui, em tom de confissão, falei que talvez estivesse sentindo falta de ficar com mulher. Logo percebi que o seu pau dava novo sinal de vida... o fato de eu ser bi sempre o excitou. Começamos a falar sacanagem, imaginar hipóteses... aquela conversinha sacana acabou recaindo na nossa amiga Suzana... Gui ficou todo animadinho em tê-la conosco na nossa cama...Foi então, deitada ali, com o pau dele na minha mão, que tive certeza de que tudo, desde o começo, tinha sido armado. O sonho do meu namorado (ou namorado da Suzana?) era ter nós ...