1. A Ex do meu namorado (real)


    Encontro: 10/02/2019, Categorias: Traição / Corno, Autor: gabkiel, Fonte: ContoErotico

    Meu nome é Gabriela, escrevi vários contos aqui, todos de ficção, embora alguns sejam baseados em experiências reais. Hoje, porém, a história que eu trago é totalmente verdadeira, só não vou dar os nomes reais para não ser processada. Estou escrevendo ainda cheia de raiva, então perdoem eventuais erros.Bem, eu trabalho traduzindo material erótico e escrevo putaria por hobby, então me considero bem liberal e cabeça aberta. Normalmente, sou considerada atraente e sensual (sempre fiz sucesso por onde andei) e já tive experiências com homens e mulheres. No entanto, desde que conheci Guilherme, me forcei a ser uma “menina comportada”. Estávamos namorando desde junho do ano passado e tínhamos uma vida sexual que eu classificaria como “ok”, embora ele achasse fenomenal. Tudo bem, eu não estava plenamente satisfeita na cama, mas adorava a nossa relação, os carinhos que trocávamos, as coisas que compartilhávamos e tudo mais.O Gui morava em Floripa e eu em Joinville e, como eu trabalho em casa, aceitei seu convite para morarmos juntos. Me mudei para a capital no fim do ano, achando tudo maravilhoso, do apartamento bem localizado, num prédio com academia, à velocidade incrível da internet (em Joinville é uma merda). Mas aí a Suzana entrou na minha vida. A vi pela primeira vez na academia. Me cumprimentou, perguntando se eu era a namorada do Gui, do 802. Disse que morava no andar de cima e me convidou para visitá-la e tals... Tenho que reconhecer que era uma garota bonita... gaúcha, ...
    morena, bem feita de corpo... até a porra do sotaque dela era sensual... confesso: bem lá no fundo, imaginei até se não daria uma escapadinha com ela...Quando comentei com meu namorado, ele ficou meio sem jeito. Vi que alguma coisa havia ali. Questionei e ele acabou confessando que os dois tiveram “um lance, nada demais”. Nunca fui de ter ciúmes, mas a postura da garota, me bajulando daquele jeito, me deixou com uma pulga atrás da orelha.Passaram alguns dias, chego em casa e os dois estão conversando na porta. Ela veio toda alegre e me abraçou, dizendo que faria uma visita. Juro que seu corpo exalava um cheiro bem peculiar, cheiro de sexo. Mas, como ela estava com roupa de academia, julguei que fosse suor dos exercícios. Naquela noite, Gui alegou estar cansado e não quis nada comigo (normalmente, transávamos todos os dias, até mais de uma vez). Comecei a ficar desconfiada... de madrugada, entre o sono e a vigília, cheguei a ter um sonho estranho, em que Suzana estava na nossa cama. Acordei excitada e isso me irritou ainda mais.Guilherme ficava o dia todo fora e, como eu estava sempre em casa, via Suzana com frequência. Ela era sempre exageradamente legal comigo, parecia até flertar. Uma tarde, apareceu na minha casa, perguntou se incomodava (incomodava sim, eu estava trabalhando, mas disse que não) e veio entrando. Estava seminua (pessoal de Floripa fala que em cidade praiana as pessoas costumam andar assim). Um shortinho branco com biquíni por baixo e um tomara-que-caia ...
«1234»