1. Erika, ninfeta arrogante I


    Encontro: 10/02/2019, Categorias: sodomia adultério, Heterossexual, Autor: Helga Shagger, Fonte: CasadosContos

    chupadora de anginho! Imagina se teu marido soubesse que já mijei na tua cara, rampeira putona! Chupa, meu Amor, chupa! Aaaah, eu te... te... amo, sua vagabunda!! Gilda parece estar em transe e é como se seu rosto fizesse parte da anatomia de Erika. Por mais que haja bruscos movimentos a boca de polpudos lábios não se descola da xaninha de sua jovem amante. O rosto de Gilda brilha da umidade escorre da sua boca e da xota de Erika. Suas sardas se avivam mais devido ao rubor do orgasmo que está perto de acontecer, pois uma das suas descobertas de alcançar orgasmos era chupar Erika enquanto manipula a própria xana. - Voce... voce trouxe o... guerreiro, trouxe?! - Sim, sim! Voce vai... vai me deixar fazer aquilo, minha rainha!? - Como recompensa pelo tênis que me deste! Também o Juca não sabe fazer tão bem como voce, meu machinho! Agora sou tua putinha! - Minha putinha, não! Voce é minha princesinha! Minha rainha! A razão de minha felicidade! Vira, meu amor, vira! Deixa eu lamber teu cuzinho! Depois de mais um beijo apaixonado, Gilda vai virando sua jovem amante e mais uma vez se abaixa e enfias o rosto nos polpudos glúteos dela. Erika com a bunda empinada joga a cabeça pra trás emitindo um longo suspiro de femea no cio ao mesmo tempo em que separa as nádegas facilitando o acesso da boca de Gilda em seu anus rosadinho. - Ah, Gilda querida! Mete, vai! Mete agora, me enraba gostoso como só voce sabe fazer tua ...
    putinha gozar! - Sim, meu amor! Deixa eu me despir e vestir o “guerreiro”! Joel poucas vezes se sentiu tão excitado quanto agora. O corpo de Gilda é fenomenal, o de Erika nem se fala. Pra ele, a sodomização de uma adolescente por uma mulher mais velha, é uma coisa especial. Gilda com todo carinho vai invadindo o cuzinho de Erika com o consolo, enquanto ela esboça um sorriso de puro prazer. Quando a virilha de Gilda encosta na bundinha de Erika, ela vira o rosto e Gilda torce a cabeça pra alcançar os lábios da jovem que ela sodomiza. Quase uma hora depois, Joel desce da escada e vai pro seu carro. Bento nem o vê passar, porque aquela hora começa o movimento das 17 horas. Uns quinze minutos depois, Gilda sai da cafeteria carregando uma pasta de documentos, entra no carro e vai embora. Convido meus leitores a visitar meu blog http://eternahelga.blogspot.com.br/ onde encontrarão esses contos devidamente ilustrados. Obrigada Erika, que já tinha uma pulga atrás da orelha a respeito do semblante de felicidade de sua mãe nos últimos meses, concluiu que o irmão tinha visto a mãe com alguém lá na edícula. Zelda estava lambendo os resto da ejaculação quando o celular tocou. Ela o ignorou enquanto continuava chupando e dedilhando sua xaninha. A chamada parou por uns segundos e voltou a tocar. - O que foi, querida? Essa é a hora de meu descanso! Erika explica o que a mãe tem que fazer. Minutos depois Zelda chega ao
«123»