1. Minha mãe não é fácil… leva os amantes pra dentro de casa!


    Encontro: 10/02/2019, Categorias: Exibicionismo, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Quem me contava isso era o meu velho amigo Enio, que já tinha se conformado. Em outra ocasião ele me confidenciara dessa forma: Minha mãe não é fácil… leva os amantes pra dentro de casa! Eu retruquei na hora. – Mas Enio, você queria que ela levasse pra onde? Ela precisa ser discreta, é só você, e eu né?, que sabemos que ela tem uma atividade sexual bem alta. Ela tem o quê? 55 anos? Mais? – Tem 56, é magra, como você sabe, e… Kaplan, ela não se preocupa nem em fechar a porta do quarto… já vi algumas vezes ela transando… é chato! Bem, eu não tinha como ajudar, era uma situação que eu nunca vivi, não tenho a menor ideia do que pode um filho sentir vendo a mãe nua na cama com outro cara que não o pai. Mas ela era viúva, tinha todo o direito de transar com quem ela quisesse… Eu conhecia Irene, a mãe do Enio. Era uma pessoa extremamente simpática e agradável. Não era nenhuma top model. Alguns até achavam que ela era feia. Por ser amigo e saber da simpatia dela, nunca diria isso. Não era uma beleza estonteante, mas feia eu não achava que era! Enio desabafava apenas comigo. Eu era o confidente dele nesse assunto. Em outros também, mas não vem ao caso agora. – Senta aí, vamos tomar uma cerveja porque sei que você quer me contar o que viu recentemente… te conheço! – É, conhece mesmo. Foi ontem, cara. Cheguei em casa, devia ser perto das 20 horas. Tudo escuro, mas no final do corredor vi que tinha luz acesa. Era o quarto dela. Quando chego lá para dar um boa noite… ...
    vejo ela de camisola, sentada em cima de um sujeito que nunca vi na minha vida, mas novo, devia ter uns 30 anos no máximo. Eles conversavam, ela ria, me viu olhando, riu pra mim sem o sujeito perceber e continuou lá, mas logo tirou a camisola… sem sutiã, os peitinhos ficaram à disposição dele. Peitinhos mesmo, já te contei que ela os têm bem pequenos, parece peito de adolescente! E aí, ela vira o corpo, mas continuando sentada no cara, torna a sorrir pra mim e quase deita em direção aos pés dele. Fiquei com a visão da bunda dela, com calcinha fio dental, imagina! 56 anos e usando calcinha fio dental… – Deixa de ser bobo, Enio, que tem de mais ela usar? – Ah… você sempre a defende… – Vai lá, continua o caso… – Ela tornou a virar o corpo, ficando de frente pra ele que pegou nas coxas dela e ficou segurando. Dava para ver que já estava de pau duro, apesar de estar vestido. E aí ela tirou a calcinha e depois despiu o sujeito, ficou pegando no pau dele, acariciando… e sempre olhando pra mim ela deitou o corpo e ficou batendo uma punheta pra ele. Depois entrou entre as pernas dele, bateu mais um pouco e aí chupou o pau do cara. – E você ficou de pau duro… – Para com isso, Kaplan! – Ficou ou não ficou? – Fiquei, fiquei sim, pronto… depois ela sentou nele e ficou pulando, de frente pra mim. Mas não demorou muito pulando não, acho que ela fica cansada por causa da idade. Aí deitou de costas e o cara deitou por cima dela, enfiou o pau e ficou metendo, no vai e vem… me recuso a te dizer ...
«12»