1. Coragem depois dos 40


    Encontro: 10/02/2019, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: paulo, Fonte: CasadosContos

    Olá. Sou o Paulo e tenho 44 anos. Sou casado, pai de três filhos e venho contar como descobri o prazer de ser passivo depois dos 40. Moro em Recife. Há muito tempo tenho o desejo de dar o cuzinho e não tinha realizado esse sonho pela minha situação social e familiar. Sou militar e tenho três filhos homens que não quero decepcionar por nada nesse mundo. Amo minha esposa e a família é tudo pra mim. Mas, voltando ao assunto, desde a época de soldado, observava os genitais dos colegas na hora do banho e me excitava, a ponto de ter de me controlar para que ninguém percebesse. Mas era apenas uma tara. Nunca tive a coragem de realizar tal fetiche, ainda que tivesse boas oportunidades, uma vez que viajava muito a trabalho e nunca passava mais que dois ou três dias numa cidade. O desejo vinha à tona e acabava com uma punheta bem batida no banheiro. Em 2017 precisei anunciar um carro para vender num desses sites de classificados. Fiz o anúncio e aproveitei que estava só em casa e vasculhei o site de classificados onde tinha anúncios de relacionamentos de todo tipo: gays, lésbicas, héteros, trans...etc. Escolhi alguns anúncios de homens que procuravam passivos e anotei os telefones para ligar no dia seguinte, pois eram 23:00hs e não ficaria legal ligar a essa hora, pensei. No dia seguinte apo´s algumas ligaçoes, me interessei por um cara que se dizia chamar Diego, 22 anos e 19cm de pau. Tinha local e isso foi predominante na minha decisão, pois os demais não tinham local e propuseram ...
    motel. Jamais entraria num motel com um homem! Marquei com o Diego. Ele morava num prédio no centro do Recife, o que facilitaria também. Marquei no horário comercial, sempre largava às 17:00hs nesse dia tinha largado do quartel ao meio dia e não falei para a esposa. Então tive esse tempo para o encontro. Diego morava no sexto andar de um prédio antigo, com elevador quebrado e muito sujo. Pensei em voltar, desistir mas o tesão estava demais. Cheguei ao apartamento e o Diego apareceu, apertou minha mão e entrei no ap. Conversamos um pouco e já percebi o pau do garoto duro num calção de algodão folgado. Aparentava estar sem cueca. Aquilo me excitou e começamos a nos apresentar. Falei do meu desejo de ser passivo e que seria minha primeira vez. Prontamente o Diego me chamou para o quarto desarrumado e tirou o calçao, deixando o pau duro em pé, latejando à minha espera. Meu desejo era só dar a bunda, sentia nojo de chupar, mas o convite foi pra se ajoelhar e chupar, não tive como negar. Ali, eu era o passivo. Chupei aquela pica enorme imaginando ela todinha dentro de mim. Ele era carinhoso, à medida que eu chupava, ele ia alisando meu cabelo, passava a mão em meus mamilos, que aquela altura estavam durinhos... senti o liquido que antecede o gozo sainda de minha pica e me entreguei completamente aquele garoto de 22 anos. A idade de um de meus filhos! Após uma longa e gostosa chupada, ele me levantou me virou de costas, ficou de joelhos no chão e começou a chupar meu cuzinho. Nunca ...
«12»