1. O velhão bruto me deixou rouco


    Encontro: 10/02/2019, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: h40bisp, Fonte: ContoErotico

    Como todos puderam ler em meus contos anteriores, sou uma cara maduro, mamador, que adora ter a garganta arrebentada por um macho de verdade.Como todos os meus contos, esse tb é verídico, pois não tenho saco pra ficar inventando historinha.Na semana passada, eu estava em viagem pelo estado do Paraná a trabalho e entrei no batepapo a procura de um macho de verdade pra socar a vara na minha boca.Depois de muito tempo tc acabei achando um cara, que disse ter 56 anos, divorciado, que topou me encontrar. Como estava em hotel eu nao tinha onde recebê-lo, então ele falou que não teria problemas, que me daria uma lição mesmo que fosse no carro.Peguei o macho no local combinado, com medo, e logo que entrou ele ja foi me chamando de viado filho da puta, oque me deixou u pouco assustado, pois nem o conhecia. Ele foi me indicando um local meio afastado e escuro, até que eu disse que estava com medo e que iria voltar. Ele pegou a minha mão direita, colocou na sua rola, duraça e falou: viado, vc me fez sair de casa, eu nao vou voltar sem te dar uma lição, sem foder sua garganta.Apesar do pavor, aquele atitude me fez ficar entregue e depois daquilo, fiz tudo o que ele mandou.Chegamos em um local bem isolado, ele mandou eu sair do carro e ele tb saiu.Eu estava tremendo, ele veio até mim, do outro lado do carro e ja meteu uma cusparada na minha cara. Tive vontade de chorar, mas nem deu tempo ele ja tacou um tapão na minha cara e falou: se chorar te arrebento.Colocou a mão no meu ombro e me ...
    forçou pra baixo, me dando outra cuspida na cara, abriu a calça e saltou uma piroca grossa, uns 17 cm, uns pelos brancos, um bom par de bolar, e uma cabeçona roxa muito babada.Sem cerimonias mandou eu engolirr.Chupei o melhor que podia, mas ele socava com muita violencia a rola na minha garganta e me dava báuseas, e saiu como um grito, um urro meu, como se ele estivesse me afogando. Eu babava muito, saia muita baba mesmo e ele nem aí, socava como se eu fosse um buraco qualquer.Eu pedia calma e ele ficava puto, falava: viado filho da puta, so abre essa garganta e não fala nada, odeio viado, só vim aqui pra te machucar seu corno filho da puta.Me xingava o tempo todo, me encheu a cara de tapa e de cuspe. Eu fiquei desesperado.Pela primeira vez na minha vida achei que ia morrer.Depois de muito tempo, já com joelhos, garganta, e cara doendo, todo melecado de tanta baba e cuspe, ele tirou a benga da minha boca e jorrou uma porra absurda na minha cara, que me melou ainda mais e sujo minha camiseta, minha orelha, tudo.Eu levantei humilhado, mas feliz que ele não gozou na minha gargata, pq eu nao teria como ter pedido pra ele nao fazer.Ao termino ele entrou no carro e me pediu pra voltar pro centro.Durante o caminho me fez parar num posto e comprar duas cervejas ong nec pra ele, o que fiz morrendo de medo, pq ele já tinha mostrado do que era capaz.Até ir deixa-lo perto da casa dele ele virou as duas cervejas e saiu, deixando os cascos e, ao sair me disse: seu viado do caralho, esquece ...
«12»