1. Praga - o novo mundo - Capítulo 10 - Maldita bebida, bendita bebida.


    Encontro: 06/02/2019, Categorias: trama, perdão, Fiction, Science, ficção científica, Scifi, longa, sofrimento, Choro, Dor, armas, faca, tortura, Morte, Amor / Romance, fim do mundo, terror, Drama, Apocalipse, Casal, nerd, Gays / Homossexual, Autor: T.B, Fonte: CasadosContos

    Olá "conteiros". Mais um capítulo dessa incrível história. ;D Lembrando que a narrativa aborda duas linhas temporais, então é necessário acompanhar desde o começo. Comentem no final, eu agradeceria (Bob e Thommy também kkkkkk Capítulo 10 - Maldita bebida, bendita bebida. Mesmo sobre o efeito da bebida Bob percebe que aquilo fazia parte de mais um dos meus episódios de recordação, mesmo assim ele não se aventurou em questionar. Provavelmente ele achava que eu ainda estava bravo por ele não ter respondido as minhas perguntas, sendo assim eu teria o direito de não respondê-lo. -Vamos lá pessoal, - disse Amanda agarrada ao seu copo e cortando meus pensamentos, -...quem se atreve a fazer a primeira pergunta? -Eu tenho uma pergunta, - respondeu Deb com voz arrastada e sorridente, -...meninos, se vocês curtissem mulheres… eu seria um bom partido. Aquela era realmente a Deb que eu conhecia? Não que ela fosse uma amiga de décadas, mas aquilo não fazia seu estilo. Ainda atordoado pelas lembranças que caíram sobre mim como um balde de água fria, eu faço uma cara de dúvida… como se eu tivesse ouvido errado, ou descrente pela pergunta. -Puta merda… ela sim está bêbada, - exclamou Amanda surpresa pela coragem da irmã. -... manda vê garota. Involuntariamente abri um sorriso com a situação constrangedora, definitivamente aquela parecia uma pergunta que saíra da boca da Amanda, não dela. -Com certeza… - respondo bravamente e causando espanto nas duas. Senti alguma dificuldade em ...
    pronunciar aquelas duas palavras, não deveria ter bebido tanto. -Você é forte, esperta, sabe preparar uma deliciosa refeição com apenas algumas batatas… - continuei falando e ainda descrente pelo que sai da minha boca, -... e seu corpo é realmente sexy. -Puta merda, - disse Amanda boquiaberta enquanto olhava para mim, -... esse é o dia mais feliz da minha vida. Não me pergunte o porque eu disse que o corpo dela era ‘sexy’. Eu pensava aquilo, e sem dúvidas era um corpo atrativo… mas eu não deveria ter dito. Bob, que antes estava sentado no chão entre as minhas pernas, se mexe mostrando desconforto pela situação. Por um momento todos na sala percebem que o ruivo não havia ficado feliz, não pela pergunta, mas sim pela resposta exageradamente detalhada. -Isso se eu gostasse de garotas e se Bob não fosse o grande amor da minha vida. - completo a fim de corrigir a minha gafe, enquanto acaricio os cabelos do ruivo. -Sim, qualquer um teria sorte em ter uma mulher como você. - respondeu Bob de forma objetiva mas ainda sim dando um sorriso para a moça. -Clichê. - acrescentou Amanda ao ouvir a resposta. Eu posso jurar que eu consegui sentir a raiva de Bob pela Amanda apenas por tocar nos seus fios de cabelo. -Agradeço a vocês… - disse Deb envergonhada, -...e me desculpem. -Nada de desculpas, esse é o propósito… - respondeu Amanda com animação, -... minha vez de perguntar. Bob... Sabe quando você sente que algo pode ‘não prestar’? Então, sempre que os dois estabelecem contato eu prevejo uma ...
«1234»