1. July&Jenny - 15


    Encontro: 06/02/2019, Categorias: Amigas, Lésbicas, Lésbicas, Gays / Homossexual, Autor: Forever, Fonte: CasadosContos

    ~Por Jenny<br> <br> Fui fazer a minha tatuagem também doeu muito mas eu não podia fazer igual o Vitor fez se não ele ia zoar muito, a cara da July era muito engraçada parecia que ela estava sentindo dor por mim, pensei se já está assim antes imagina quando fizer, acabei de fazer a do símbolo de infinito fui fazer a boca no pescoço, essa doeu muito mais, tinha hora que eu falava ai e o Vitor ria, acabei de fazer a July foi fazer também, falei pra ela segurar minha mão e pensei que ela iria quebrar meus dedos, ela apertou com tanta força que forcei um sorriso pra descansar a dor, quando acabou ela me deu um beijo no rosto e falou:<br> <br> ~July: desculpa por apertar seu dedos amor RS.<br> ~Eu: Tudo bem bebê rsrs nem doeu kkkk.<br> ~Vitor: achei que eu ia morrer. <br> ~Eu: deixa de drama bixa porque eu fiz duas e não dei o escândalo que você deu, até na rua dava pra ouvir seus gritos.<br> <br> Fomos pro shopping eu de mão dadas com a July e o Vitor desfilando na frente, até que ele para olhando pro lado, ele tava pálido, parecia que tinha visto um fantasma, ele então olhou pra July e pra mim, olhou pra onde estava olhando e depois olhou pra gente novamente.<br> <br> ~Eu: Vitor Ta bem? <br> ~Vitor: Eu, eu , eu to bem, só que eu queria ir pra casa.<br> ~July: Vitor, Você ta gelado, o que houve?<br> ~Eu: é Vitor você tá gelado.<br> ~July: vamos todos pra casa.<br> <br> ~Por July<br> <br> Fui fazer a tatuagem só que antes de mim foi a Jenny, ela parecia que estava sentindo dor ...
    mais não gritava nem nada, acho que era pro Vitor não zoar ela, quando chegou a minha vez eu senti um dor enorme, apertei os dedos da Jenny coitadinha, acho que machuquei ela po que apertei com tanta força, fomos depois pro shopping e tava tudo muito bem eu estava de mãos dadas com a Jenny, mas não sei o que houve o Vitor ficou estranho, parecia que ele tinha visto algo ou alguém que tinha deixado ele gelado, branco, pálido, decidimos ir pra casa e o Vitor não falava Nada, ele entrou no carro e deitou no banco do carro todo encolhido eu nao sei o que ele tinha visto, mas seja o que for que ele tenha visto foi sério, mesmo que eu conheça ele a muito pouco eu nunca o vi assim, chegamos em casa.<br> <br> ~Jenny: Eu vou com você. <br> ~Eu: Não, fica ai e eu entro, ele não ta bem, veja o que ele tem Ta bom?<br> ~Jenny: Ta bom, depois eu entro.<br> ~Eu: Ta bom, boa sorte.<br> <br> Dei um selinho nela e entrei.<br> <br> ~Por Jenny<br> <br> Chegamos a July falou pra mim conversar com ele, era bem sério, porque eu nunca tinha visto o Vitor daquela maneira, fui pro Banco detrás e falei pra ele me contar o que houve.<br> <br> ~Eu: Vitor, me conta o que houve?<br> ~Vitor: Eu, eu, vi, mas eu não deveria ver.<br> ~Eu: do que tá falando Vitor? <br> ~Vitor: Eu preciso ir pra minha casa Jenny.<br> ~Eu: se acalma, eu te levo mas me conta quem você viu?<br> ~Vitor: Eu estava andando, aí eu virei e quando virei, eu vi, mas não podia, como? Eu vi, eu vi Jenny.<br> ~Eu: se acalma Vitor, calma, me diz ...
«12»