1. Minha Madastra Helena (Parte 2)


    Encontro: 04/02/2019, Categorias: Com Fotos, Lésbicas, Autor: corabopp, Fonte: ContoEroticoComBr

    Depois de passar a noite toda em branco, levantei naquela manhã decidida a fazer só uma coisa. Iria seduzir Helena a qualquer custo. Depois de tomar o banho mais demorado da minha vida, me sequei e parei nua em frente ao espelho. Minha buceta estava raspadinha. Vesti uma calcinha branca, um shortinho de cotton rosa e uma blusa curta regata, apertadinha. Segurei meus seios, fiquei de costas admirando meu bum bum, fiz poses de modelo para mim mesma. Sem nenhuma modéstia, mas estava muito gostosa. Ao chegar na copa, vi meu pai e Helena tomando café da manhã, ela sorria arrumando sua gravata. Ao lado de meu pai havia uma enorme mala de viagem. Nem me lembrava daquilo, ele iria viajar, exatamente por isso que haviam brigado no dia anterior. Aquilo não podia estar mais perfeito. Fui direto para a geladeira e peguei uma garrada de água gelada. – Você não da mais bom dia para seu pai não menina? disse mastigando seu café. – Bom dia pai – Me da um beijo menina. Beijei sua bochecha e lhe baguncei o cabelo. Meu pai riu e falou que o café estava fresquinho. – E sua mãe, não ganha beijo também? perguntou Helena me encarando. Helena vestia um robe vermelho curto, ele terminava na altura de suas coxas. De pernas cruzadas e coxas a mostra, Helena me olhava esperando uma resposta. – Claro que sim Andei para perto de Helena, seus olhos percorreram meu corpo todo, apoiando em seu ombro, me aproximei de seu rosto e lhe beijei no canto dos lábios. Ela sorriu e acariciou meu rosto. Se meu pai ...
    não estivesse ali, nem sei o que aconteceria. – Comprei aquele morango que você tanto gosta filha. – Nossa mãe, eu quero. Sentei na cadeira ao seu lado, Helena se levantou e foi até a geladeira. Seu bum bum se revelou no momento que se abaixou para abrir a gaveta da geladeira. Ela vestia uma calcinha vermelha, fininha. Helena colocou a caixinha de morango sobre a mesa e logo trouxe minha granola. – Quer café filha? Respondi afirmativamente com a cabeça. Não pude deixar de olhar para dentro de seu robe quando se inclinou me servindo café, aqueles seios enormes na minha frente, quase pude ver seus mamilos, parecia que fazia por querer, para me torturar. – Mari, essa semana eu vou passar fora, mas olha, não quero saber de bagunça, não vai me dar trabalho pra Helena hein. Em toda a minha vida nunca meu pai havia me deixado tão feliz ao dizer algo. – Claro pai. Olhei para Helena. Ela sorria para mim. Me imaginei chegando por trás de seu corpo e lhe beijando a nuca. Minhas mãos invadiriam seu robe e envolveriam seus enormes seios. Nós beijaríamos de língua enquanto eu lhe masturbaria bem gostoso. – Pode deixar pai. Olhei para aquelas pernas cruzadas e imaginei Helena as abrindo para mim no primeiro momento em que meu pai saísse pela aquela porta da sala. “Vem chupar a mamãe, vem” Meu corpo pegava fogo, minha mente trabalhava a mil por hora e meu pai não terminava aquele café da manhã. Falava de boca cheia, interminavelmente, eu só conseguia pensar em Helena. – Vou escovar os dentes. ...
«1234...8»