1. Enquanto queimavam os fogos no céu, eu enrabava minha nova namorada.


    Encontro: 22/01/2019, Categorias: vaginal., safadas, Ano novo, reveillon, Mãe e filha, Grupal, ménage, Oral, Anal, Amiga, Autor: Marcos Vinicius, Fonte: CasadosContos

    E como imaginei, todos os dias que se sucederam a o natal haviam sido uma putaria insana. Logo pela manhã no dia seguinte transamos muito, saindo do quarto apenas na hora do almoço. As coisas aconteciam nos lugares mais inusitados, como na sala, no banheiro, um certo dia até mesmo na piscina com seus pais em casa. Toda aquela situação de podermos sermos descobertos Ketlim me confidenciou que dava muito mais tesão para ela, e comigo não era diferente. Com toda essa loucura, eu não me surpreenderia se sua mãe descobrisse de toda aquela putaria. Dia 28 eu e Ketlim recebemos uma notícia maravilhosa, passaríamos o reveillon na casa de praia da família. Dia 29, um dia antes de nossa partida, Carlos, o marido de Beatriz, um homem alto, corpulento de cabelos escuros e pele clara disse que teria que fazer uma viagem de última hora. Como o esperado, tia Beatriz não havia ficado nada feliz. -- Mas como assim, você arruma uma viagem pra ir no fim do ano e deixa sua família? Sério Carlos, você vai estragar as férias de todo mundo. -- Calma amor, vão ser só alguns dias, mas provavelmente eu vou perder o reveillon. E não precisa ir comigo, pode ir com o Caio e a Ketlim. Não quero que eles se prejudiquem por causa do meu trabalho. Carlos desculpou-se. Muito a contragosto, Beatriz concordou, se despedindo do marido na mesma hora com um beijo no rosto. Logo depois que Carlos foi embora pude notar o semblante triste de Beatriz. -- Você acha que sua mãe está feliz com tudo isso? Perguntei para ...
    Ketlim quando estávamos finalmente sozinhos em seu quarto. -- Não está mesmo. Minha mãe odeia essas viagens do meu pai. Ela já chegou a pensar que ele faz isso só pra botar chifres nela. Ketlim respondeu, arrumando nossas malas. -- Acha que ela se sente sozinha? Perguntei, começando a ajudá-la. -- Eu acho que ela já está totalmente infeliz com esse casamento. Só continua com ele por causa do dinheiro e por causa de mim. Meu sangue desceu do meu cérebro para meu pau, quando vi aquela beldade guardando roupas dentro de uma mala com sua bunda totalmente empinada, apenas vestindo uma blusinha rosa e a parte de baixo de um biquíni. Não resisti e lhe dei uma encoxada, que em contrapartida foi devolvida com um gemido. -- Quer ajuda? Perguntei, pressionando meu cacete contra aquela bunda perfeita. Ketlim se virou, com sua expressão angelical de sempre enquanto rebolava sua bunda, e disse: -- Acho que não precisa, dou conta sozinha. -- Mas eu insisto. Nesse momento fomos interrompidos pela porta do quarto se abrindo e Beatriz entrando. -- Já arrumaram tudo? A loira perguntou, aparentemente não ligando para a cena de ante de seus olhos. -- Quase mãe. Ketlim respondeu, se empinando mais ainda, deixando que meu pau se acomodasse melhor entre suas nádegas. Pensei que se não fosse por aquelas roupas meu pau já teria entrado dentro de seu cu. -- Que bom. Quando terminar aí Ketlim, desce lá embaixo, quero conversar com você. A ruiva apenas assentiu, rebolando descaradamente sua bunda sobre ...
«1234...9»