1. MULHERES SURPREENDENTEMENTE INCOMUNS!


    Encontro: 11/01/2019, Categorias: madura, Desejo, Traição / Corno, Anal, Oral, Heterossexual, Autor: O BEM AMADO, Fonte: CasadosContos

    Me contive, e pensei no dia seguinte, e tudo que ele prometia. Mal dormi naquela noite, antecipando uma ansiedade quase descontrolada. E quando me vi dentro do carro, na manhã seguinte, não cabia em mim de tanta excitação! Estacionei o carro próximo ao edifício onde Vera morava. Tomei o cuidado de enviar-lhe uma mensagem de texto, avisando que chegara para nosso encontro. “Pode subir. Estou te esperando”. Essa era a resposta que eu aguardava ansiosamente; desci do carro e me dirigi à portaria, onde minha entrada foi liberada sem rodeios. Enquanto subia no elevador, sentia meu coração pulsar forte e meu pau vibrar insano. Antes de tocar a campainha, percebi um pequeno bilhete colado ao batente, e que dizia: “a porta está aberta”. Constatei o fato empurrando a porta que se abriu; entrei e fechei-a atrás de mim. Ao olhar para a sala de estar, meus olhos faiscaram com a visão de Vera; ela estava sentada em uma poltrona e usava apenas uma linda e delicada lingerie vermelha que contrastava com a sua pele extremamente alva. Passo após passo, caminhei em sua direção …, e Vera, por sua vez, tentou levantar-se, mas, eu acenei com a mão para que permanecesse onde estava; eu estava hipnotizado pela sensualidade daquela mulher, com seus modos despojados e seu olhar lânguido e cheio de sedução …, o que ela ansiava era por cumplicidade, e era exatamente isso que eu queria lhe dar. Próximo dela, pedi que me desse suas mãos e a puxei-a para mim; nos abraçamos e nos beijamos tomados por um ...
    arroubo furioso, em que nos enlaçávamos, apertando nossos corpos um contra o outro. Eu sentia sua pele quente e macia, vibrando de tesão, pulsando de desejo. Quando, algum tempo depois, nos desvencilhamos, trouxe comigo seu sutiã, desnudando os peitos de Vera …, e eles eram lindos! Aureolas róseas emolduravam mamilos achatados que pareciam clamar por minha boca …, olhei para Vera e constatei que, mais que tudo, era isso que ela queria! Tomei as mamas nas mãos, sentindo sua textura e volume; aproximei meus lábios deles e os beijei carinhosamente, com Vera acariciando minha cabeça; depois de muitos beijos, tomei cada um dos mamilos em minha boca, mordiscando-os com a ponta dos lábios, o que fez Vera gemer de tesão. Deixei a língua passear em círculos tanto pelos mamilos intumescidos como pelas aureolas, extraindo mais gemidos de minha parceira, cuja mãos marotas e afoitas, apalpavam minha virilha, sentindo a dureza oculta dentro dela. Mamei os peitos de Vera como se fossem eles a fonte capaz de saciar minha sede pelo seu corpo …, mas isso era apenas o começo. No momento seguinte, Vera cuidou para me deixar nu, exibindo minha rola excitada e de glande inchada; ela a segurou entre as mãos, sentindo-a pulsar e sorrindo para mim; nos beijamos mais algumas vezes, até o momento em que ajudei-a a tirar a singela calcinha. Pedi que voltasse a se sentar na poltrona e abrisse as pernas para mim; ajoelhei-me entre elas, puxando minha parceira, e deixando que minha boca fosse ao encontro de ...
«1...345...8»