1. Laços Do Destino - Capítulo 25: Novos caminhos...


    Encontro: 10/01/2019, Categorias: segunda fase, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Daniel R.M, Fonte: CasadosContos

    nunca me enganar, mas eu errei feio. — Do que se refere? — Estava confuso. — Você era o cara perfeito para meu filho. — Eu ri alto ao ouvir aquilo, mas era um sorriso de deboche. — Como é? — Depois que aquela mulher apareceu, meu filho vem perdendo muito dinheiro. — O problema é dele! — Eu não ligava nem um pouco para o dinheiro de Pablo, que no caso nem é dele no fim das contas, e sim do pai de Katarina. — Não diga que você não se importa. — Ela sorria. Eu não estava entendendo oque ela queria. — Olha tia, eu não ligo, pra mim ele pode perder absolutamente tudo. — Não tenho certeza se isso é o melhor. — Agora ela estava preocupada. — Aquela mulher está sugando todo o dinheiro dele. — Ok, não tenho nada a ver, por que não fala com ele? — Eu comecei a andar. — Você ama ele! — Ela gritou. — Só você pode salvar ele, entenda,ele te ama! — Eu congelei no lugar, oque ela falava estava certo, até a parte de falar que ele me ama. — Seu filho nunca me amou. — Eu estava furioso. — E se ele me amasse o problema é dele. Voltei para casa agora preocupado, Katarina estava sugando Pablo, que por algum motivo não faz nada para se separar dela. E minha tia quer que eu o salve, como se eu pudesse. E como se esse fosse um problema meu, Pablo é muito burro, não sei oque ele ainda faz com aquela mulherzinha. °°° — Filho, seu amigo veio…ei que cara é essa? — Minha mãe apareceu do nada. Eu olhei feio pra ela. — É a minha cara, o que você estava falando? — Seu amigo está aqui. — Eu não estava com ...
    nenhum humor para falar com ninguém agora. — Quem? — Perguntei mais irritado. — Você vai explodir assim Vítor, ele falou que o nome dele é Robert. — Minha mãe falava calma. Então eu sorri, como se tudo tivesse se disolvido junto com o ar, quando eu ouvi seu nome, isso é estranho. — Você me da medo garoto. — Minha mãe foi pra cozinha, e eu fui para meu quarto, me trocar, eu precisava estar apresentavel. Quando eu abri a porta dou de cara com Robert que tapou minha boca pra abafar o grito que eu dei. — Não faça isso comigo, ficou louco? — Desculpa. — Ele sorriu. — Sua mãe deixou eu vim para seu quarto. — Eu me sentei na cama e respirei. Ele me olhava preocupado, e depois sorriu de novo. Robert estava vestido todo de vermelho, eu tinha quase certeza que agora essa seria minha cor favorita. — Veio fazer o que aqui? — Eu disse que ia ver você mais tarde, e já é mais tarde. — Ele riu. — Eu também não consegui ficar longe de você. — Ele pegou minha mão, eu fiquei vermelho. — Que bom que você está aqui. — Eu o abraçei, foi uma atitude sem pensar, eu só fui pensar quando já tinha feito. Senti seu cheiro amadeirado, com algo doce. Eu gostei. — O que foi? — As vezes eu só preciso de um abraço. — Falei, e não o soltei. Robert passou seus braços pelo meu ombro e eu encostei minha cabeça no ombro dele. Me sentia mal por dentro, eu fiquei tão mexido com a história da minha tia, eu queria ajudar Pablo, mas eu também queria que ele se afundasse, seria uma grande lição pra ele. — Conte comigo ...