1. Amor tem Gênero? Cap.14


    Encontro: 09/01/2019, Categorias: descoberta, Amor / Romance, Dor, luto, Tristeza, Amor / Romance, Gays / Homossexual, Autor: Kyle, Fonte: CasadosContos

    Pois é, pra alegria (ou tristeza) de vocês eu ainda estou vivo kkk Peço desculpas pela demora, por conta da minha faculdade e do meu tratamento não tenho tanto tempo pra escrever. Eu havia terminado esse capítulo semana passada, mas achei melhor deixar pra postar hoje dia 09 de fevereiro como um pedido de desculpas pra vocês. O motivo de ter escolhido essa data eu deixei no final do capítulo. Não vou responder os comentários dessa vez porque estou com um problema pra acessar o capítulo anterior, mas respondo os dele e os desse no próximo capítulo. Boa leitura pra vocês. ********************************** Havia acabado de chegar na fazenda 'Nossa Senhora das Dores' juntamente com o Jonas, fazenda essa que se encontra na zona rural de Assaré e que pertencia a família de minha madrinha. Ela seria velada lá e enterrada no cemitério da cidade, era essa sua vontade. A fazenda estava repleta de pessoas. Minha madrinha, por ser uma pessoa tão amável, tinha muitos amigos. Ao entrarmos no casarão da fazenda me deparo com um caixão no centro da sala, uma grande coroa de flores pendurada em uma cruz que estava atrás do caixão, e dentro dele estava ela. Estava com o rosto sereno, vestia um vestido azul claro que ela amava exibir, em suas mãos maltratadas pelo tempo estava um porta retrato com uma foto minha, ao meu lado estava meu irmão, do outro lado estava Jonas e atrás de mim estava Douglas. Todos sorridentes, aquela foto havia sido tirada em seu aniversário três meses antes do ...
    acidente e um pedido que ela fez foi que quando morresse gostaria de ser enterrada com aquela foto, para que mesmo após a morte pudesse olhar por nós. Lembrar de seu sorriso maroto, de sua voz suave e de sua forma de agir me enchia de felicidade! Mas ao lembrar que eu nunca mais veria seu sorriso, nem ouviria sua voz me despertou para a realidade. Ela estava morta! Eu havia perdido ela. Caí de joelhos no meio da sala diante daquele caixão, estava com um olhar vazio, meu peito estava apertado não conseguia chorar, depois da morte de Branndon eu havia obtido um bloqueio, não conseguia chorar em público. Todos da sala me olhavam, aqueles que me reconheceram me olhavam com pena, já os demais me olhavam confusos. Senti uma mão em meu ombro, quando olhei para cima vi um rapaz um pouco bronzeado, cabelos pretos com um topete, olhos verde-esmeralda com olheiras, era bem forte e usava uma camisa auto-ajustável. Era de fato um rapaz bonito. -Kyle é você? Eu: Sim, sou eu! Mas quem é você? - Não está me reconhecendo? Sou eu Douglas. Eu: Ah, olá Douglas, desculpe é que já faz muito tempo. Ah e meus pêsames pela sua perda. Douglas: Tudo bem e obrigado, mas sei que você está sofrendo tanto quanto eu, ela o tinha como um filho. Eu: E eu tinha ela como uma segunda mãe. Douglas: Podemos ir até o segundo andar? Preciso te dar uma coisa. Estranhei um pouco mas decidi subir com ele, entramos em um quarto grande e Douglas fechou a porta assim que eu passei pela mesma. Eu: Então, o que precisa me dar? ...
«1234»