1. Fodi com meu filho numa limusina no dia do seu casamento...


    Encontro: 09/01/2019, Categorias: Incesto, Autor: solitariaanamaria, Fonte: ContoErotico

    Como já tinha dito em contos anteriores, meu filho saiu de casa para viver com a namorada. Embora eu sentisse muito a falta das tardes de sexo com ele, desde que vivem juntos nunca mais me procurou.Sinto saudades mas compreendo bem e aceito esta nova realidade.No mês passado foi o seu casamento. Os preparativos foram os que penso normais para estas ocasiões . Eu e José em conjunto com os pais de minha nora preparamos tudo para um casamento de sonho.Para quem conhece Braga de certeza que já ouviu falar na quinta dos Cisnes. Esta quinta é o sonho de todos os noivos para o enlace. Bastante caro mas um sonho.Minha nora chegou de charrete ao altar. O casamento decorreu com muita emoção (pelo menos para mim). Foi lindo ver o meu menino dizer que sim com muita emoção. O copo de água também foi bastante agradável.Como não estou habituada a beber, ao fim da tarde já sentia o álcool bater em minha cabeça. Numa das minhas idas á rua apercebi-me que num local mais resguardado estava estacionado a limusina que levaria os noivos em lua-de-mel.Ao ver a limusina veio-me logo á ideia um fetiche que sempre tive de fuder numa enquanto circulava pela cidade.Estudei o local e vi que ninguém estava por perto. Aproximei-me e verifiquei que a porta estava aberta. Dei uma espreitadela e fiquei deslumbrada com o luxo da viatura.- Tenho que foder ali. – Pensei.Pensei em ir buscar meu José mas outra ideia me surgiu. Mandei uma mensagem para o telemóvel de meu filho.“- Podes sair por cinco minutos de ao ... pé de tua mulher e vir ter comigo?”Ele respondeu“- Posso, mas o que se passa? Onde estás? Passa-se alguma coisa?”“- Passa sim meu amor. A mamã quer se despedir de ti.”“-Onde estás?”“- Qual o melhor sítio para uma rapidinha?”“- Não sei... Na casa de banho?”“-Não, meu amor. Na limusina”“- Estás maluca?”“ –Anda, por favor…”Não respondeu e tinha a certeza que ele viria. Não podia-mos demorar muito por isso tinha que ser mesmo uma rapidinha. Despi as calcinhas. Como estava de vestido tudo seria mais fácil.Tranquei as portas da Limusina e esperei. Passado dez minutos vejo meu filhote se aproximar. Como os vidros são fumados eu via-o mas ele não me via a mim. Quando chegou perto destranquei a porta. Abri as pernas e fiquei com a minha cona que tinha depilado para José ou par algum esquema que pudesse surgir na noite bem aberta para meu filho.Quando a porta se abre ele fica de boca aberta.-Estás maluca?- Cala-te e entra.Entrou e nem o deixei falar. Puxei-o para mim e tranquei a porta.- Fode-me. Fode-me nem que seja a ultima vez mas fode-me.- E se somos apanhados.- A porta está fechada. Qual o mal mãe e filho estarem a conversar dentro da limusina? Anda fode-me. Por favor.Meu filho fode-me. Penetra-me fundo de uma só vez. Minha cona estava bastante lubrificada pois enquanto esperava fui me masturbando.- Já tinha saudades do teu caralho. Mas não vamos falar. Apenas me fode.Não voltamos a falar e fodemos como selvagens. Meu filho estocava minha cona. Sentia as bolas a baterem com força ...
«12»