1. Coração Ferido - Capítulo XVII


    Encontro: 05/01/2019, Categorias: hot, Bear, Amor / Romance, Reconciliação, Amigos, Drama, Amor / Romance, Sexo, Gays / Homossexual, Autor: William27, Fonte: CasadosContos

    Boa noite leitores, passando rápido para atualizar a história, hoje não poderei responder aos comentários, mas agradeço a cada que tirou um tempo para votar a comentar e respondendo as dúvidas, não eu não vou abandonar o conto aqui, aos leitores mais curiosos que quiserem acompanhar no watt pad o conto está 2 capítulos a frente lá, a todos boa leitura. Coração Ferido - Capítulo XVII Pensei muito, fazia isso antes de agir, ou na maior parte das vezes. O que eram para ser poucas horas foram dias, era muita informação, fora o fato de ser enganado e ser o último a saber. Acabei perdoando meu pai, não tinha por que eu guardar rancor dele. Valmir eu entendi que ele fez isso para me proteger. Luciano não tinha como eu ficar com raiva dele, eu não tinha o seu sangue frio, quer dizer nem ele mesmo, mas se ele conseguiu ficar próximo de João todo esse tempo e aturou isso por mim ele cresceu 1000 vezes no meu conceito e realmente merece minha amizade. João voltou para Belo Horizonte. Acabei não falando mais com ele e isso era um assunto que me incomodava, coisas foram ditas, portas foram abertas, mas não foram fechadas, eu não me sentia completamente vingado. Depois de Valentina e sua tia serem encontradas mortas Roberto fugiu e tudo indicava que estava no sul do país. O crime foi ligado a ele já que tinha sido provado que elas eram laranja dele e que sabiam de vários esquemas. Ela não merecia esse fim, mas como Valentina mesma dizia ele queria vida boa, queria ser bancada e sua ...
    ambição e levou ao seu próprio fim. Lembro que falando com alguns colegas da minha antiga turma alguns disseram que ela teve o fim que merecia, mas eu como vários outros não pensávamos assim, por mais que ela tenha sido uma desgraçada comigo assassinato não era o castigo que ela merecia. - Filho, sobre você e o seu irmão terem transado, foi consentido? – Perguntou meu pai dias depois quando estávamos eu, ele, minha mãe e meu irmão. - Sim, foi consentido... – sorri meio sem graça. - E foi bom pai...na verdade muito bom... – Meu irmão deixou escapar fazendo meus pais olharem surpresos para ele. - Mas você não machucou seu irmão, pelo que sei você não é só grande em altura... – Meu irmão não sabia enfiar a cara depois desse comentário. - Ele foi bem carinhoso mãe... – Eu tive que rir. - E você gostou filho? – Meu pai estava um tanto quanto curioso. - Muito, faria de novo se o Fabrício deixasse...e eu não estivesse comprometido, quer dizer, vocês entenderam... – Ele ficou vermelho. - E você Fabrício, gostou? – Meu pai me encarou. - Sim... – Eu não acredito que estava tendo essa conversa com eles. - Então foi bom... – minha mãe se levantou. - Foi e muito – ele corou – Guilherme me deu o carinho que eu precisava na época, foi algo que aconteceu no momento de um tesão muito grande, nós éramos novos demais, confundimos as coisas e acabou acontecendo – expliquei, meus pais se entreolharam – eu não me arrependo de nada, se o Guilherme não fosse meu irmão eu com certeza o pegava de novo – ...
«1234...8»