1. Depois do pôr do sol Final/2


    Encontro: 06/12/2018, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: morsolix, Fonte: ContoErotico

    Continuação do final.Por ter ficado longo demais.Nunca mais escrevo istoSentiu um estalar de uma tapa no rosto e em seguida um beijo que lhe chupava toda a língua.- É! Sou um fantasma que veio lhe assombrar.Ajoelhou-se em frente das pernas presas e abertas de Luccas e começou a chupar todo o seu cu, molhando o dedo na saliva e metendo no cu do rapaz.– Relaxa e goza que hoje tu vais ser meu brinquedo. – maestria de chupar um cu, parecia ser uma especialidade, ainda mais quando este contraia. Sentia medo daquele arremedo de Flavio ressuscitado. Este acariciava só uma das mãos, as bolas, a língua passeava no fundo do carinha preso, o Rêgo levemente peludo. Depois tinha seu pau chupado por uma boca morna e que lhe mordia a base, apesar do medo, começou a sentir prazer. Estranhamente começou a movimentar a sua pélvis, esfregando desajeitada mente na cara do homem sádico.- Continua sempre uma puta, né? Quer pica? Vai ter. – vociferou – Agora abre a porra desse teu cu – e deu uma palmada na bunda do Luccas.- Ah! – debochou o sádico Flavio – Escapei da porra daquela cripta, depois de passar algumas semanas berrando noite e dia e me jogando com todas as minhas forças com meu ombro direito o maldito daqueleO homem imobilizado ainda olhava espantado.- Por sorte. Pelo destino, apareceu um senhor que veio ver, pensando que era uma visagem. Com outros me soltaram. Sai pelado, e... Com fome, apavorado e meu braço e ombro... Lesionado pra sempre. Então; você me deve uma foda. Você não ... queria ficar comigo porque eu lhe troquei?E Luccas via aquele demônio de corpo nu e belo, falar, e falar e muito. Rosto sádico ou raivoso viu ir para a porta e chamar alguém e logo apareceram outros dois homens, mascarados, com arreios de tiras que traspassavam o peitoral musculoso e botas, no mais, pareciam ser habituais todos os homens daquele recinto, desfilar pelados e mascarados.- Tirem ele daí e deixe-o de quatro ai no sofá.- e assim o fizeram – Agora! Vamos à proveitar à noite.Então Luccas se viu cercado pelos dois mascarados e mais Flavio. Em trio, juntaram as picas, ainda mole e deram para ser chupado. Eram picas de tamanhos diferentes o cheiro de sexo e todos lentamente foram chupado e pouco tempo eram caralhos enormes que eram chupado.- Poe um pouco mais de empolgação aí nessa chupada, te conheci chupando rola melhor – zombou Flavio – Assim; olha. – e se ajoelhou diante de um dos mascarados e chupou a rola grossa e veiúda e num vai e vem. Flavio engolia todo o caralho do rapaz, arrancando um barulho de prazer que fodia a boca. Logo em seguida o outro rapaz se posicionava para fuzer a pequena bunda de Lucas que permanecia de quatro e sentiu seu cu dilacerado de uma vez só. Aquilo doía, pois o medo vencera sua coragem e arrogância. Um dos mascarados arrematava com toda sua força a pica, e ali naquela sala só se ouvia um gemido de alguém que estava sendo comido violentamente e o barulhinho do culhão ressoava fazendo sair lágrimas de tamanha força que levava no cu.- Pára! ...
«12»