1. Decidi ser menina e putinha...


    Encontro: 05/12/2018, Categorias: Porteiro de Teens...cabaço...anal, Gays / Homossexual, Autor: Sergay24, Fonte: CasadosContos

    Quando você é jovem, todos sempre dizem que você pode ser o que quizer. Eu decidi ser uma menina, uma putinha. E quero contar a vocês a história dos eventos que me levaram a tomar essa decisão e a ser uma pessoa tão feliz. A natureza havia me ensinado a começar a me masturbar, era uma sensação incrivel, mas apenas saia apenas algumas gotas de sêmen. A primeira pergunta é como começar a contar esta breve história? Posso dizer que, desde que eu era criança, tinha desejos um tanto diferentes. Eu não me considerava homossexual, mas me senti profundamente identificado e impressionado com o sexo feminino. Vou explicar... Seu corpo, sua maneira de se vestir e falar, sua doce ternura, sua posição às vezes submissa, às vezes sedutora e, acima de tudo, a bela habilidade de engravidar e ser mãe, todas essas qualidades de uma menina me fascinaram extremamente . E sim, um homem normal pensa isso, mas meu modo de perceber isso era algo diferente ... Eu só pensei que teria sido bom ser uma menina, só isso. Tornei-me um adolescente, senti a necessidade de experimentar meus desejos, e naquela etapa da minha vida foi que, pela primeira vez, procurei cercar-me de outros que compartilhavam interesses compatíveis. Então, eu já fazia parte de um círculo de jovens da minha idade que queriam desencadear seus hormônios, um pequeno grupo de cerca de 12 indivíduos, da grande escola particular em que estudava. Realizavamos reuniões em que nos confidenciavsmos sobre nossas fantasias e, ... inevitavelmente, sonhavamos como se estivéssemos procurando as pessoas certas para cumpri-las. Alguns dos membros eram como eu, ansiosos por conhecer os prazeres de ser uma menina ou pelo menos curiosos sobre isso, e muitos outros eram apenas adolescentes curiosos sobre o assunto. Poderia dizer que nos completavamos perfeitamente, ou pelo menos esse foi o projeto do grupo a médio prazo . Finalmente, entre conversas e fantasias, não demorou muito para eu próprio ter alguns candidatos para dar meu corpo, jovem um pouco mais velho do que eu e mais masculino, que conseguiu seduzir-me em privado com conversas mórbidas e promessas de prazer. Mas logo todos no grupo perceberam que, embora nossa escola fosse realmente grande, faltava um lugar confiável para transformar nossas fantasias em realidades. Estávamos muito envolvidos no assunto e queríamos fazer mais do que contar nossas fantasias, então buscamos soluções em todos os lugares, precipitamos como bons jovens, até que uma de nossos membros tenha encontrado uma alternativa interessante. Ao sul da nossa escola havia banheiros em um prédio separado que quase ninguém ocupava, porque havia muitos outros em lugares mais próximos, e o cuidador responsável tinha o hábito de fechar uma ou duas horas por dia para limpar. Em nossa mente infantil que soava como uma ótima solução e conversando com o cuidador, nosso amigo conseguiu concordar, supostamente, que este banheiro se tornaria nosso quartel particular por algumas horas por dia para fazer o que ...
«1234»