1. CAMINHONEIROS BOM DE BRAÇOS E PAUS


    Encontro: 01/12/2018, Categorias: Grupal, Autor: dosex, Fonte: ContoEroticoComBr

    Sempre fui de viajar sozinho, e as vezes, dormir em Hoteis ou postos, dentro do carro.. E numa das vezes que passei por Santa Catarina, pela Transbrasiliana, enfrentei uma enorme chuva que me obrigou a parar num posto e já cansado da viagem, decidi ficar por ali. Eram umas 19h e haviam alguns caminhões também parados. Falei com os frentistas da minha intenção de dormir no pátio e recebi permissão. Fui a lanchonete tomar um refri e sentado a mesa da frente, dois rapazes ficaram me olhando, medindo de cabeça aos pés.. Coisas que respondi. Não sou afeminado, sou do tipo normal e sei encarar também.. Pedro, um deles, levantou e perguntou-me se eu iria dormir no meu carro, pois ele ouviu eu comentando com o frentista. Perguntei se tinha outra opção e na cara de pau ele me respondeu que sim, pois seu caminhão era bau, estava vazio e eu poderia dormir la dentro, sem problema nenhum, pois tinha redes disponíveis. Agradeci a oferta e disse que iria pensar. Pensei ser um golpe ou algo assim.. Mas, ele sentou-se a nmesa e começamos a conversar. Cláudio, seu amigo veio junto. Eram caminhoneiros parceiros e trabalham na mesma empresa, viajando sempre em duplas de caminhões. A cerveja gelada soltou as línguas e o papo rolou solto. E nesse papo, perguntaram sesw toparia uma sacanagem no caminhão, coisa que topei com naturalidade. Cláudio disse que iria ficar na lanchonete para assistir ao jogo, e se eu aguentasse o parceiro, ele faria as honras depois. Pedro foi pra o bau e eu fui no meu ... caro, pegar minha mochila de banho e uma secreta que sempre levo. Iria provocar Pedro ao máximo. Sai do banheiro limpo, perfumado e fui até o caminhão. Encontrei a porta do bau entreaberto e entrei. Pedro havia arrumado um espaço, com cobertores de mudanças e uma meia luz..era o necessário. Cheguei perto dele que estava deitado e nú, e deixei cair minha calça de abrigo… Pedro queria avançar com seu pau duro em cima de mim ao ver minha calcinha vermelha de renda e meia 7/8 furada.. Estava eu uma perfeita putinha.. acalmei o menino dizendo que seria a noite perfeita, mas ele tinha que ter calma.. e sem pudor, me ajoelhei perto do pau babão e duro.. Um cacete normal, limpo e cheiroso escorregou pra minha boca.. sorvi como se fosse um sorvete … Pedro ora segurava meus cabelos, ora me puxava com tudo, tapinhas no rosto e me chamava de puta, cadela e tudo mais o que eu queria ouvir.. Louco de tesão, num movimento rápido e certeiro me colocou de quatro e puxando a calcinha de lado, lambeu meu rabo, deixando ainda mais molhado do que já estava.. De camisinha vestida, seu pau encontrou um cuzinho quente e sedento.. Receber Pedro foi prazeroso, pois me pegando pelas ancas, puxava como louco para encontro de seu casco.. meu rabo gozou e Pedro gozou logo depois. Disse que adorou a transa e iria busca uma cerveja na lanchonete.. Ao voltar com algumas latinhas, Claudio veio junto, ansioso pela historia contada por Pedro. Me encontrou deitado na cama improvisada, recomposto nas roupas de ...
«12»