1. Mariele nas mãos de um sádico, parte 16


    Encontro: 17/11/2018, Categorias: humilhação, tortura, escrava, Sadomasoquismo, Autor: Mariele, Fonte: CasadosContos

    Nunca me senti tão humilhada na vida. Eu estava nua ajoelhada na presença do meu dono e mais dois homens mascarados. Eles estavam bebendo e se divertindo em me usar e me humilhar. Então o meu dono colocou uma musica e mandou eu dançar . - Mariele, se levante e dance pra gente,queremos ver um show bem caprichado. Muito envergonhada, eu levantei e comecei a dançar pra eles. - Rebola um pouco. Isso. Depois de duas músicas o meu dono disse. - Vamos deixar isso mais excitante. Aí ele se levantou e amarrou as minhas mãos pra trás e passou uma corda entre elas e a coleira, me deixando com as mãos no meio das costas. Aí ele mandou eu dançar novamente. - Dá uns pulinhos aí pra gente ver os seus peitinhos balançarem. Disse um dos homens. Então eu dançava e pulava amarrada e humilhada. Nisso o meu dono falou. - Isso está ótimo, mas pode melhorar. Aí ele deu um pequeno chicote pra cada um dos homens. Depois ele vendou os meus olhos e mandou eu continuar dançando. Agora eu estava dançando vendada e amarrada, e também estava assustada. Aí eu levei uma chicotada na bunda. Sletp - Aaaaaaaiiiii - HÁ HÁ HÁ HÁ olha, ficou uma marquinha. Depois disso veio outra chicotada na minha bunda. Eu tentei me encostar na parede, mas logo percebi que estava cercada pelos três e me forçavam a ficar no meio da sala. - Rebola mais, sua puta. Sletp. Sletp Não sei quantas chicotadas eu levei, mas já estava suando e com o corpo ardendo. - Por favor, parem Ai Ai Ai Ai . Então a musica parou e eu senti alguém me ... puxando pela coleira. - Vamos dar uma volta. Aí eu fiquei andando de um lado pro outro vendada e amarrada, de vez em quando alguém passava as mãos na minha bunda. Nos andamos uns minutos, pude perceber que nós saímos pra fora e voltamos. Na volta me deixaram em pé e de vez em quando algum deles passava a mão nos meus peitinhos, mamava eles ou os beliscada. Outra hora passavam a mão na minha bunda. Depois enfiaram um dedo no meu cozinho e deram pra eu lamber. - Lambe o meu dedo, putinha, ele tá com o sabor do seu cuzinho. Fui obrigada a chupar o dedo dele, o sabor era horrível. Depois ele enfiou o dedo na minha bucetinha e mandou eu chupar também. Eu podia ouvir os risos dos outros caras . Depois disso ele me largou aí mandaram eu abrir bem as pernas e ficar parada. Eu estava com as mãos amarradas e vendada. Só podia ouvir eles bebendo e rindo. Meu Deus que vergonha. - Agora ajoelha aí cadela. Então eu me ajoelhei. - Agora abra a boca e não feche. Aí eu fiquei ajoelhada de boca aberta. - Nos vamos dar o pau pra você chupar. E você tem que dizer qual é o pau do seu dono. Se errar você vai apanhar. Nisso já enfiaram um pau na minha boca. Ele socou fundo até a minha garganta e ficou socando. Depois veio outro e fez o mesmo, aí o terceiro também. Não tinha como saber então eles me perguntaram. - Qual é o pau do seu dono? Como eu não sabia, eu resolvi chutar. - O segundo. - Errado. Nenhum deles. Você chupou apenas um pau. Sua cadela estúpida. Então eu fui agarrada e levantada do ...
«123»