1. TIO GERALDO - GERALDÃO OU CAVALÃO ?


    Encontro: 08/11/2018, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: lubebutt, Fonte: ContoErotico

    Meu nome é Rubens, sou branco, baixo, magro, todo peludo e bem apresentável.Apesar de filho único, moro com meu pai e minha mãe. Minha família é bastante grande, tenho muitos tios, tias, primos, primas e sempre nos reunimos, por datas comemorativas ou simplesmente por passarmos um tempo juntos.Um dos meus tios, por parte de minha mãe, de nome Geraldo, por ser muito alto (bem, pelo menos era no que eu acreditava até alguns meses atrás) possuía um apelido bem característico , “Geraldão”. Ele morava numa cidadezinha do interior e de vez em quando vinha nos visitar e de quando em vez também o visitávamos.Desde pequeno, que sinto algo especial nesse meu tio, mas não sabia ao certo o que era. Só sabia que adorava estar com ele, principalmente quando ele me tocava. Ele se deitava a tarde comigo, me abraçava e me dispensava muita atenção. Ele é solteiro e há alguns meses, mudou-se para minha cidade e empregou-se na policia.Quando vinha nos ver, chegava todo imponente com uma bela farda, conversava com minha mãe e depois ficava onde eu estivesse sempre que podia me abraçava, dava beijos em meu rosto e tapinhas em minha bunda.Toda semana tio Geraldo nos visitava. Morávamos em uma casa grande com um quintal ainda maior e nesse quintão meu pai construiu um barracão muito amplo para guardar ferramentas e era onde eu adorava passar minhas tardes.Ele tem mais de 2 metros, é todo peludão, um corpo escultural, moreno claro, cabelos pretos lisos, mãos e pés enormes e por ser do interior é ... meio bronco, o que em minha opinião o deixa ainda mais atraente.Sou um sortudo por dar minha bunda pra ele sempre que ele quer. Ele é meu macho e só começamos a meter há pouco tempo.Em uma determinada tarde de abril de 2016, encontro tio Geraldo na cozinha conversando com minha mãe. Eu havia acabado de tomar banho e estava sem cueca e apenas de roupão. Assim que cumprimentei Geraldão lembrei-me que meu celular estava no barracão de ferramentas de meu pai, e do jeito que estava fui até lá para buscá-lo.Assim que sai de casa e entrei no quintal, vi tio Geraldo me seguindo e o aguardei para irmos juntos pegar o tal telefone.Nesse dia, achei Geraldão muito agitado e sempre com as mãos na calça da farda. No início não dei muita atenção aos fatos pensando que talvez fosse impressão minha, mas para minha sorte, NÃO ERA.Continuamos a caminhar em direção ao barracão em silêncio.Quando abri a porta do barracão e fui apoiá-la para deixa-la aberta meu tio pediu-me para fechá-la e disse que precisava conversar comigo. Obedeci e mesmo com vontade de voltar para vestir uma cueca e trocar de roupa concordei em ouvi-lo.O barracão possuía um enorme mesa de madeira e era onde eu tinha deixado o celular. Caminhei até a mesa (tio Geraldo me seguindo o tempo todo), avistei o celular mas não o peguei, apenas puxei-o para perto de mim, virei de costas e comecei a brincar com o mesmo e a ouvir meu tio:_ Rubens, você já tem namorada? Nunca te vi com nenhuma garota.Virei-me de frente para ele e respondi:_ ...
«1234»