1. Reflexos De Uma Vida - Capitulo 6


    Encontro: 08/11/2018, Categorias: Amor / Romance, ódio, Estupro, Vingança, Gays / Homossexual, Autor: Pietro Becerra, Fonte: CasadosContos

    atrás de mim que sem perceber acabo tropeçando em um toco de arvore e caio, Nando que vinha atrás de mim também cai sobre o meu corpo, pele contra pele, o calor dos nossos corpos, o desejo, quando nos demos conta estávamos nos beijando, um beijo desesperado, forte, sua língua se introduzia forte dentro da minha boca que correspondia com desejo e luxuria. Sua ereção era evidente e a minha também, mas em um ímpeto de discernimento para o beijo, afasto Fernando de mim e me levanto. Pietro: Não Nando, eu não vim até aqui para isso. Você é casado, eu não posso sentir nada por você nem por homem nenhum, não enquanto eu não me vingar dos homens que mataram o seu Arthur. E não se esqueça eu sou Pietro Becerra, enfermeiro da sua patroa e estou aqui por outros interesses. Fernando: Já que você insiste tanto nisso Pietro, eu e você vamos nos vingar dos Montenegro e depois disso a gente foge para o mais longe possível esquecemos tudo o que passou e começaremos uma nova vida. Eu largo tudo pelo amor que sinto por você. Pietro: Não sei Fernando, eu não sei, não posso ficar com você, tem a Estela, ela te ama e você também deve amar ela pois se não amasse não teria casado com ela. Fernando: Eu já te disse que largo tudo por você, eu não a Estela, no começo ... até sentia algo por ela, mas com o tempo tudo virou rotina, e te ver aqui mesmo com todo o tempo que passou e o quanto a gente mudou, o amor dentro de mim ainda é maior que tudo. Pietro: Tudo isso é muito bonito sendo falado assim Fernando, mas a realidade tem tudo para ser diferente, essa vingança não será fácil e não sei se depois dela eu terei cabeça para algo, desculpe-me agora eu tenho que ir a Dona Catarina já deve estar atrás de mim – vou saindo quando Fernando me puxa e me enlaça em seus braços (QUE BRAÇOS, QUE HOMEM!!) e me beija novamente, dessa vez com calma, com carinho, com amor. Fernando: Eu sempre te esperarei. NO QUARTO DE ANDRÉ Ao voltar para casa grande passo pelo quarto de André e a porta está entreaberta, ele está lá dentro falando algo que tento escutar o que ele fala, em sua mão estava um porta-retratos com fotos de alguém André: quando será que terei coragem de dizer o que sinto por ti, Alina – eu até desconfiava que ele sentia algo por Alina, mas com aquilo consegui confirmar seu sentimento por ela e não irei permitir que ele consiga realizar esse desejo, não posso permitir que um dos homens que destruiu a minha vida se envolva com a Alina. Ele estava alcoolizado e esse vicio me auxiliará em minha vingança. CONTINUA...
«12»