1. Um Hétero no estacionamento da faculdade


    Encontro: 08/11/2018, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: vinny_rj, Fonte: ContoErotico

    Era noite e no estacionamento da minha faculdade apesar de movimentado é mal iluminado, às vezes passo pelo estacionamento pra ir embora e dessa vez tive um ganho.Enquanto passava notei um cara alto Branco bonito dentro de um carro parado. Ele me olhou e fixou os olhos em mim. Continuei andando e ele então saiu do carro e ficou apoiado na porta me olhando ainda. Continuei andando, mas como se eu não quisesse nada, voltei e passei por ele de novo, notei ele fazendo um movimento com os braços, mas não tive certeza do que era, ele estava atras do carro. Então me aproximei, pois saquei que ele queria brincar.Disfarçadamente já do lado dele vi que ele se masturbava olhando pra mim. Me pediu pra abaixar pra ninguém ver. Mal me agachei e ele já deu um passo à frente enfiando o pau na minha boca de uma só vez.O cara era alto, loiro, cavanhaque o que adoro em homem, corpo largo e bem distribuído, bem macho e ativo, mas tinha uma piroca bem pequena, coisa de uns 12 cm duro. Virilha e saco bem raspados. Sua bermuda e cueca caíram ao chão e eu me apoiava em suas pernas enquanto o mamava. Apesar de pequeno o pau dele era uma delicia. Bem quente, macio, molhado e bonitinho da cabeça rosadinha. Ele vigiava fingindo que nada estava fazendo. A todo instante passava alguém do outro lado do carro. Mas ele se mantinha discreto e firme com o pau na minha boca. Ninguém notaria se ele disfarçasse bem e assim ele fez. Comecei a chupar seu saco atingindo minha língua até a região do seu ... períneo. Que delicia foi! Ele franzia a testa a fazia biquinho com a boca de tesao. Pedi pra ele se virar mas ele não deixava. Eu queria dar uma chupadinha no seu cuzinho. Ele relutava, e eu insistia. Ele perguntou baixinho se eu bebia leite, foi a deixa pra uma negociação. Eu disse que não, mas deixaria se ele deixasse eu lamber o cuzinho dele. Ele disse que não curtia, pois não era "viado". Eu insisti mais um pouco. Ele então cedeu dizendo que deixaria um pouco. De um modo rápido ele se virou de costas e me pegou pela cabeça a empurrando contra sua bunda. Já fui de língua procurando o buraquinho dele. Linguei o cu dele que era bem lisinho e macio além de totalmente fechado. Tava cheiroso e saboroso, mas logo ele se virou meio acanhado e dizendo que era pra eu mamar até ele gozar. Assim fiz. Ele estocava o pau com força e raiva na minha boca me segurando pela cabeça. E logo senti uns jatos de esperma invadir minha boca. Era tão forte o sabor da porra dele que até lacrimejei. Bem ácido entretanto meio adocicado. Parecia grosso e denso. Ele tirou o pau da minha boca e bateu ele no meu rosto até amolecer um pouco. Se vestiu e disse pra eu seguir minha reta, sem dar pinta. Fiquei meio sem graça com a grosseria, mas esses caras "heteros" sempre agem assim. Eu fui embora, mas desde então só vou embora pelo estacionamento pra tentar algo a mais com ele, pois na verdade mesmo com o jeito dele, o que valeu foi o leitinho que ele me deu e linguada que dei no cuzinho dele.
«1»