1. Minha Mãe (Linda e Ordinária) Parte 3.


    Encontro: 04/11/2018, Categorias: Incesto, Amigos, Mãe, Heterossexual, Autor: MorenoSP, Fonte: CasadosContos

    Continuando… Depois da conversa tudo correu muito bem no churrasco, apesar do clima pesado consegui me divertir, revi meus amigos de infância, conversei com todo mundo e claro minha irmã ficava perto de mim o tempo todo. Quando deu a hora fomos embora, na hora que estavamos saindo minha mãe cercou a gente suplicando pra voltarmos pra casa: -Por favor voltem pra casa, quero ter vocês dois de volta na minha vida - Se você terminasse com o monstrinho do Rafael e tirasse ele de casa eu poderia até pensar mãe, mas só volto quando aquela casa parecer um lar de família e não um puteiro (disse minha irmã) Entramos no carro e fomos embora. Após o final de semana eu sai na segunda-feira para fazer um trabalho para o meu pai na capital próximo a Pinheiros, quando estava voltando minha irmã me ligou e disse que já estava na faculdade e quando acabasse a aula me ligava pra ir buscá-la. Passei no mercado, peguei umas cervejas e umas coisas pra comer e quando peguei a fila do caixa vi o Rafael no caixa eletrônico que ficava na frente de caixa de papo com uma menina que devia ter no máximo uns 18 anos, era uma menina bonita, estilo princesinha, loira legítima, olhos verdes, bumbum empinado e seios grandes, devia ter 1,70 de altura no máximo. Ela parecia estar bem incomodada com o Rafael, ele chegava perto pra falar e ela se afastava, colocava a mão peito dele pra ele se afastar e ele insistia. Passei pelo caixa, paguei minhas coisas e quando vi ela tinha deixado ele falando e ele foi ... atrás dela, peguei as coisas que comprei, coloquei no porta malas do carro e entrei. No estacionamento vi que o Rafael subiu na moto e estava andando devagar do lado da menina, ele ainda não tinha percebido a minha presença então decidi acompanhar pra ver no que iria dar aquilo e me dei bem, vi que a menina gritou pra ele ir embora, ele saiu de cima da moto e pegou ela forte pelo braço e puxou ela pelo cabelo. Eu parei o carro do outro lado e interferi: -Não basta comer a mãe dos outros, tem que ser agressor né Rafael! - O que ta fazendo aqui seu otário? Ta me seguindo? - Solta a menina, não me obriga a ir ai te dar uma surra cara - HAHAHA VOCÊ ME DAR UMA SURRA?? PAGO PRA VER ISSO! Ele jogou a menina no chão e veio pra cima de mim, eu dei um chute no peito dele, e ele caiu, quando levantou eu dei o soco na cara dele que não sei da onde tirei tanta força pra dar aquele soco que ele caiu que nem um saco de batatas no chão rs’. Depois que ele apagou fui ver como a menina estava, ela chorava muito, tentava ligar para o pai dela mas o celular dela quebrou quando ele jogou ela no chão, o nome dela era Beatriz, falou que o pai dela era da força tática e então eu emprestei o meu celular pra ela ligar pro pai dela. Em 5 minutos ele apareceu e reanimou o Rafael, a Beatriz ja estava mais calma, eu tinha comprado uma lata de Coca-Cola pra ela e isso fez ela se acalmar. O pai dela pediu pra ela contar o que tinha acontecido e quando ela contou ele algemou o Rafael e colocou na viatura, me ...
«123»