1. PRIMEIRAS LIÇÕES


    Encontro: 03/11/2018, Categorias: Submissão, Incesto, Anal, Oral, Heterossexual, Autor: O BEM AMADO, Fonte: CasadosContos

    -Belinha! Venha até aqui! – gritou Lucinda do interior de seu quarto. -O que você quer, mãe? – questionou a adolescente, recusando-se a ir. -Venha até aqui, agora! – ameaçou Lucinda – Senão, você vai se arrepender! Muito a contragosto, Isabel, ou melhor, Belinha, saiu de seu quarto, dirigindo-se ao de sua mãe; e tomou um susto ao entrar. -Nossa! Mãe! Você está pelada! – ela exclamou com surpresa. -Venha até aqui, sua safadinha! – ordenou a mãe sem responder ao comentário da filha. -Porque? O que você quer? – ela devolveu, ainda assustada com a nudez de sua mãe. No breve intervalo que se sucedeu, Belinha observou o corpo nu de sua mãe; Lucinda era do tipo “mulherão”, com peitões, bundona, coxas grossas e tudo isso muito bem tratado e cuidado. A garota sabia que sua mãe se cuidava. -Belinha, vem aqui, e tira a roupa! – exigiu a mãe, quebrando o silêncio com seu tom autoritário. -O que? Você pirou, mãe! – redarguiu a filha inconformada. -Não pirei, coisa nenhuma! – devolveu a mãe no mesmo tom – Tire logo essa roupa …, ou você pensa que eu não sei o que você e aquele seu namoradinho abusado andam aprontando na minha ausência! O sangue de Belinha congelou! “O que será que ela sabe?”, pensou a garota, hesitando em obedecer a mãe. Todavia, viu-se em uma situação delicada e decidiu obedecer; despiu-se e tentou proteger suas “partes”, ante o olhar crítico de sua mãe. -Você já trepou com aquele safado? – tornou a perguntar Lucinda, sem rodeios. -Mãe! Que pergunta é essa? – questionou ... Belinha. -Apenas me responda, sua safada? – disse a mãe em tom irritadiço – Você já trepou com aquele inútil? -Claro que não mãe! – respondeu Belinha – A gente …, a gente apenas …, brinca! -Que tipo de brincadeiras? – tornou a perguntar a mãe -Ah, você sabe! – ela respondeu – Assim você me deixa sem jeito, mãe! -Quero saber até onde aquele idiota avançou! – ela asseverou – E o quanto você está preparada para encarar um macho …, venha …, sente-se aqui, ao meu lado. Assim que Belinha sentou-se ao lado de Lucinda, esta abriu as pernas da filha vasculhando sua vagina com a ponta dos dedos. “O que é isso, tá maluca, mãe?”, esbravejou a filha, incapaz de evitar o gesto. -Fique quieta, sua safada! – ordenou a mãe, prosseguindo na bolinação na vagina da filha – Hum, parece bem apertadinha …, e molhadinha também …, isso é bom …, Ô Genivaldo! Vem aqui! Genivaldo surgiu no interior do quarto, vindo do banheiro. “Mãe! Era só que faltava! Ele também está pelado!”, reclamou a filha inconformada com a situação, no mínimo, inusitada. “Ele está sim, porque eu mandei! Você precisa aprender umas coisas, ante que apareça aqui embuchada!”, sentenciou a mãe. Lucinda acenou para que Genivaldo se aproximasse, e depois de segurar a enorme rola do sujeito, olhou para ele e, em seguida para a filha, dizendo: -Agora, ajoelha aqui …, ajoelha e chupa essa rola! -Ah, não! De jeito nenhum, vou fazer isso! – contestou a garota. Imediatamente, em resposta à negativa da filha, Lucinda não titubeou e sapecou-lhe ...
«1234»